Eu escolho amamentar!

Já falei aqui neste blog sobre parto normal ou cesáreo e não tenho intenção nenhuma de defender uma situação ou outra e muito menos julgar a opção das mulheres com relação a isso. Mas quando se trata de amamentação, sou uma defensora árdua! Na minha opinião, a amamentação exclusiva até os 6 meses no peito é a melhor coisa para um bebê e eu escolhi amamentar.

Hoje li sobre opinião das mulheres sobre amamentação nos Estados Unidos. Lá, para lembrar, as mulheres dão muita importância ao parto normal, fazendo cesárea somente em casos extremamente necessários. Porém, depois que o bebê nasce, aí acham que amamentar no peito é uma questão de escolha. Claro que não se deve generalizar e isso vem mudando com vários movimentos pró-amamentação. Mas, nesses comentários que li, que eram todos informais e de opinião das mulheres americanas, muitas defendiam que a fórmula (ou leite em pó tipo NAN) tem mais nutrientes e é mais eficaz na alimentação dos bebês recém-nascidos e pequenos até seis meses do que o leite materno. Creio que essas opiniões tenham a ver com a indústria, que convence as mulheres que o leite em pó é melhor que o leite delas. Bom, muitas defendiam essa ideia e criticavam o fato de amamentar, dizendo que era overrated (superestimado) e pouco importante na hora de criar laços com o filho.

Claro que existem mulheres que não amamentam porque não tem leite, que o leite não desce, e isso causa frustração para muitas delas. Muitas se esforçam muito e não obtém sucesso. Esse não é o foco aqui. Mas, considerando que seu leite veio e está ali pronto para alimentar seu filho, você se negaria a dá-lo ao bebê porque dizem que a fórmula é melhor? Ou porque dói? Ou porque o peito cai?

No Brasil, a amamentação não é vista como opção. Quando tive minha filha, como ela não era prematura, já na sala de recuperação, me “atiraram” minha filha no colo e colocaram ela no meu peito. Ninguém me perguntou se eu queria amamentar. Primeiro veio o colostro, bem grosso e amarelo, depois de quatro dias veio o leite mesmo. Ela mamou exclusivamente até os seis meses e depois alternando com frutas e sopinha até os 10 meses, quando começou a mamar mamadeira de Nestogeno. Não foi difícil desmamar, ela aceitou numa boa.

Já os trigêmeos ganharam Pre-NAN desde o nascimento. Estavam na UTI mas ainda assim eu ia lá e tirava eles da incubadora para tentar amamentar. Pedi pras enfermeiras porque achava que o único jeito de fazer o leite descer era estimular com os bebês. Dei o colostro para eles e o leite veio 3 dias depois. Quando viemos pra casa, amamentei exclusivamente o quanto foi possível. Sempre tive muito leite, mas desta vez eu também tinha muitos bebês. Sendo assim, se tornou impossível amamentar exclusivamente. No início eu dava fórmula numa média de 30% das mamadas. Hoje está em cerca de 80% de NAN e o resto de peito. Ainda amamento e pretendo continuar até pelo menos os 8 meses deles. Não defendo a amamentação depois de um ano de vida, mas nos primeiros 6 meses é o melhor alimento que uma criança pode ter. E que bom que aqui no Brasil (independentemente dos motivos) essa ato é defendido fervorosamente.

Você com certeza já ouviu falar de algum bebê cuja mãe não teve leite e rejeitou vários tipos de fórmula. Depois de muitas tentativas os pais e o pediatra encontraram uma marca que a criança aceitou. Meu próprio filho Matheus, por exemplo, só aceita NAN Pró. Tentei o NAN Comfor quando ele ficou trancadinho do intestino e Aptamil. Os outros tomaram qualquer um. Matheus só NAN Pró. Quantas vezes você já ouviu falar de um bebê recém-nascido que não aceitou leite do peito? A gente ouve casos de bebês pequenos que não conseguem pegar o peito ou que reclamam mamando e daí a mãe descobre que não tem leite. A fórmula, na minha opinião, deve ser dada somente quando não há leite materno ou a quantidade não satisfaz.

Mamães, sem estresses! Não se torturem se o leite não vem. Mas, tentem amamentar seus filhos. Se dói, existem muitas marcas de bico de silicone para comprar na farmácia por menos de 20 reais. Você coloca no seio e o bebê mama seu leite através daquele bico. Se o bebê é prematuro e não consegue pegar o seio, essa é uma excelente opção.

Mamães de múltiplos, tentem como puderem! Dêem o seu leite, mesmo que seja uma vez por dia. Não se martirizem se ele não vier, mas se vier, não desistam! É a melhor coisa para seus bebês, principalmente quando são prematuros.

Apenas evitem álcool e outras drogas durante o período de amamentação.

Até mais!

0 comentários

  1. Veramilles Aparecida Faé

    É Michele.
    Por isso que eles estão tão felizes e saudáveis.
    Dividir duas tetas em três não deve ser fácil, parabéns pela mamãe que és.
    Beijos da sua tia Milles.

  2. Pollyana Volpato

    Acompanho seu blog desde minha gestação, li alguns textos principais, e ontem resolvi ler ele todo (sim, TODINHO). ainda não sei diferenciar os meninos pq sou péssima nisso, mas enfim, vou te contar a minha experiência com amamentação.
    Aos 16 anos fiz uma mamoplastia que tinha sido indicada qnd eu tinha apenas 14 anos. Meus peitos eram muito muito grandes, a ponto de usar apenas sutiãs especial de tamanho 52. Me lembro bem que a primeira pergunta que fiz ao meu médico foi se eu poderia amamentar depois da cirurgia, ele até riu, pq dizendo ele essa era uma pergunta que quase nenhuma jovem fazia.
    Então, aos 23 anos engravidei, e tive a preocupação se poderia amamentar ou não. Meu obstetra disse que eu poderia sim, sem grandes detalhes acerca disso.
    Aos sete meses tive o primeiro sinal de leite, leite não, colostro, ou mais pra aguinha mesmo, pq era quase transparente. Mas aquilo me deixou profundamente feliz. A partir daquele momento eu tinha total certeza de que seria uma ‘vaca leitera’. Não duvidei de mim nenhum segundo a partir disso.
    Meu filho nasceu lindo e saudável e assim que possível tentei dar meu primeiro mamá. Ele pegou meu peito com bastante dificuldade e sugou um pouco até dormir. Na primeira noite ele chorou como nunca, e só as 5 da manhã uma enfermeira deu 5 ml de glicose na seringa a ele e finalmente ele dormiu. Nunca passou pela minha cabeça que era fome, sabia q os primeiros dias eram so colostro, mas achava q era o suficiente assim msm.
    Tivemos alta e no 3º dia ele começou a choras as 5 da tarde e nao parou mais. Fui ao pronto socorro a noite e o medico queria interna-lo pra fazer exames. Resultado: fugi do hospital, literalmente. Não ia internar meu RN de jeito nenhum!
    Minha mãe então deu a cartada final: mandou meu namorido buscar um NAN. Eu comecei a chorar, e quando meu bebê aceitou a mamadeira com 30 ml eu chorei muito mais. Chorei muito muito muito. Não queria acreditar que fui incapaz de alimentar meu filho. Logo eu que sonhei com isso sempre.
    No outro dia ele já não queria mais pegar meu peito de jeito nenhum, até que uma iluminada apareceu aqui em casa com o bico de silicone. Coloquei e o João Felipe aceitou meu peito, mamava mamava em um peito ate que uns 20 minutos depois jogava corpinho pra tras e chorava loucamente. Trocava o peito e o fato se repetia, aí dava la uns 30 ml de NAN. E eu insistia todas as vezes que ele queria mamá.
    Até que ele começou a rejeitar o peito já no inicio da mamada. Resolvi inverter a ordem, dava um pouco de NAN e depois tentava o peito, ele sugava um pouco e depois chorava e voltava pro NAN. .
    Uma amiga me emprestou a bomba de tirar leite e enquanto não estava amamentando ficava tentando tirar o leite. Descansava e depois voltava a tentar tirar. Cada dia mais meu pequeno bebe rejeitava meu peito. Tentava dar meu leite na mamadeira, mas eram muito pouquinho ainda assim. Com a bombinha tirava cerca de 20 ml, isso pq ficava de 20 a 30 minutos insistindo.
    Quando o nenem ja tinha 25 dias de nascido fui ao banco de leite como ato de desespero. Eu já estava cansada, muito cansada, muito mais emocionalmente do que fisicamente. Chegando la, ao tirar meu peito pra ela analisar e falou calmamente “você não tem leite”. Perguntou se eu ja tinha feito plastica, confirmei, e ela disse q era normal então não ter leite. Fez uma analise detalhada, tentou tirar meu leite e explicou que minha produção máxima chegava a 30 ml.
    Sofri denovo, mas dessa vez menos, pq ali tive certeza que tinha tentado todas as alternativas. Tomei milhares de litros de agua, comi todas as comidas q dizem dar leite, tomei os remedinhos que aumentam a produção, usei bico de silicone, usei bombinha manual e elétrica, fui ao banco de leite e tentei todas as posições recomendadas.
    Não deu. Infelizmente não deu. Meu sonho não se concretizou, mas meu filho ta lindo e saudável.
    Hoe ele está com 36 dias e não pega meu peito por nada no mundo. Me conformei e aceitei minha condição. Não fiz plástica por estética, e não desisti de amamentar.
    Enfim, esse é meu depoimento de amamentação. Desculpa o tamanho, só quero compartilhar minha frustração.

    1. Michele Kaiser

      Você tentou tudo tudo tudo, mesmo, Pollyana! Parabéns pela persistência. Existe tanta mamãe que desiste porque doeu nos primeiros dias ou porque as pessoas não entendidas dizem que ela não tem leite. O que não foi seu caso. Você obrigou-se a fazer uma cirurgia corretiva e não teve leite por isso.
      Um dos meus maiores desejos era amamentar meus filhos. Esforcei-me ao máximo para dar meu leite, e consegui até os 6 meses, mas nunca exclusivamente, como sonhava. Mas, no fim, a gente tem que se sentir bem porque fizemos sempre o que era melhor pra eles. Se você realmente não tem ou não consegue, depois de um mês tentando, sinta-se realizada por ter se esforçado tanto.
      Obrigada por ter dedicado um tempo para ler meus posts e acompanhar o blog. Obrigada pelo carinho! Continue acompanhando a gente! ☺️

Deixe seu comentário