O papel da madrinha

Meu marido e eu fomos convidados pela minha irmã Marina e meu cunhado Cristiano a sermos padrinhos do bebê que ela espera! Meu afilhadinho(a) ainda está com 11 semanas de barriga, mas eu já amo como se fosse um dos meus filhos! Fiquei ainda mais apaixonada por aquele embriãozinho só de pensar que eu vou ser a dindinha dele! Mas qual o papel da madrinha?

Quando estava grávida da Mônica, as duas pessoas que me vieram à cabeça para convidar para serem madrinhas dela foram minhas duas irmãs. Amo minhas irmãs e tinha certeza que qualquer uma delas seria a melhor escolha para ser uma boa dinda para o bebê que eu esperava. Optei pela minha irmã Marina porque ela é a segunda. Eu sou a mais velha, Marina é a do meio (apenas 1 ano e 3 meses mais nova do que eu), Milena é a mais nova (seis anos mais nova do que eu e cinco mais nova do que a Marina). Também contou o fato de ela ser casada com um cara muito legal: meu cunhado Cristiano.

100_1727

Batizado da Mônica em 6 de novembro de 2011. 

O vestido que ela usou foi feito para mim por minha avó paterna, dona Adda, para eu usar no meu batizado! Depois de mim, a Marina usou no batizado dela, a Mônica nesse dia da foto e a filha de minha prima (que também é neta dessa querida vovó que nos deixa com muita saudade).

Sendo assim, a Milena me fez prometer que eu teria outro filho para ela ser dinda (risos). Só que meu marido também tem dois irmãos (ele é o mais novo) e ele também queria convidar os irmãos dele para serem dindos de um filho nosso (e eu não gosto muito de escolher vários dindos para uma só criança). Por isso, então, resolvi ter trigêmeos! Hahahaha. Ter tido trigêmeos fez com que todos pudessem batizar um bebê nosso. A Milena acabou batizando o Murilo, a irmã do meu marido batizou o Matheus e o irmão dele, junto à esposa, batizou o Marcelo.

DSC08819

Batizado dos trigêmeos em 2 de março de 2014. Na foto, os avós paternos, maternos e os dindos de cada nenê. OBS.: A igreja aceitou que minha irmã Milena e minha cunhada Dilvana fossem dindas individualmente.

Leia mais sobre o batizado dos trigêmeos

Mas depois de tudo isso dito, parei para pensar quais são, afinal, as responsabilidades de uma madrinha? O que as mães esperam da madrinha dos seus filhos? O que ela representa para a mãe da criança? Para mim, independentemente de qualquer linha religiosa que a família siga, ser dinda representa estar presente, ajudar a dar apoio moral à mãe, ajudar a preparar o chá de fraldas e os aniversários… Enfim, estar envolvida na vida e no desenvolvimento do afilhado! E é isso, também, que eu espero das dindas dos meus filhos. E escolhi parentes exatamente para que o contato não seja perdido.

O papel da madrinha

Pedi para as leitoras do blog na fanpage do facebook me ajudarem a ser uma boa dinda! Aqui estão algumas coisas que lá elas listaram, mostrando o que consideram importantes sobre o papel da madrinha:

* Estar presente e ser presente, não só DAR presentes em datas especiais.

* Ajudar buscando na escola, ajudar nas tarefas de casa, dar conselhos.

* Ficar atenta às vontades dele, no desenvolvimento e estar sempre ali pra quando ele precisar.

* Apoiar a mãe quando ela precisa, estar o mais presente possível na vida da mãe e do bebê.

* Ajudar a educar, ensinar com carinho e atenção.

* Preocupar-se constantemente com a criança e, se não puder estar presente, telefonar perguntando como está.

* Interessar-se pela criança em todos os seus aspectos.

* Ajudar financeiramente trazendo fraldas, por exemplo.

o papel da madrinha

Batizado da Cristina em dezembro de 2015.

Já estava passando muitas das roupinhas da Mônica e dos meninos para minha irmã. Ela já levou o berço que era da Mônica, o móbile, a babá eletrônica, carrinho, etc. Agora me sinto ainda mais na responsabilidade de ajudar! Quero dar pitaco em tudo, até na decoração do quarto. Pretendo ajudá-la a organizar o chá de fraldas. Quero muito estar presente quando essa criaturinha adorada nascer! Vou amá-lo como se fosse meu! Daqui uns anos, ele vai viver aqui em casa e nem vai querer ir embora porque vai querer estar com os primos e a dinda!

Atualizando o post:

Nossa Cristina nasceu em 2 de outubro de 2015 e é minha afilhada. Foi batizada em dezembro de 2015 e também usou o vestido que eu, minha irmã e Mônica usamos. Ela é muito amiga da Mônica e dos trigêmeos, e tem uma personalidade muito forte: é cheia de vontades! Ela é muito sociável e muito querida com as pessoas que a agradam. Não vejo a hora de ela poder vir passar o fim de semana com os dindos aqui em casa!

Até mais!

9 comentários

  1. Ariane Passos

    Adorei seu texto acima, concordei com quase tudo com relação ao papel de ser madrinha, exceto onde você fala sobre ajudar a educar. Não concordo com isso pois pra mim é dever de todo pai e toda mãe educar seus filhos da melhor forma possível, onde entra no meio uma madrinha, uma tia ou uma avó aí já vira bagunça!! Mas estou amando teu Blog. Abraços!!

    1. Michele Kaiser

      Obrigada por expor sua opinião, Ariane! Concordo com você, é o pai e a mãe que devem educar. Mas educar também pode englobar ensinar outros itens que os pais não tenham conhecimento ou interesse, como, por exemplo, um esporte diferente. Um beijo!

  2. Michelle vc esqueceu a principal função dois padrinhos: ajudar na educação e perseverar na vida religiosa da criança, ensinando os mandamentos de Deus e cuidando para que esta criança não se desvie desse caminho, através de orações e palavras de acolhimento. Esta é na verdade a PRINCIPAL função dois padrinhos.

    1. Michele Kaiser

      Olá! Na verdade não esqueci. Deixei de comentar sobre o assunto por não querer causar polêmicas religiosas. Cada família e cada religião encaram isso de uma forma diferente, por isso preferi não entrar no assunto. Um abraço!

  3. Oi Michele, tudo bem? Também sou mãe de trigêmeos sem inseminação e no susto como você!Sofia, Pietro e Maria Clara! Amei o seu blog! Vou procurar saber na Igreja que quero batizar se pode ser uma madrinha só ou um padrinho só para cada criança! Isso falicitaria a minha vida também! Porque eu tenho uma irmã e meu marido tem uma irmã é um irmão!
    Beijos

    1. Michele Kaiser

      Hoje eles aceitam com mais facilidade. Tínhamos muitas crianças e poucas pessoas a convidar. Tinha uma criança lá com 3 casais. Acho demais… Pra que tanto, né? Beijos!!

    2. Michele Kaiser

      Ah, e me conta… Quanto tempo eles têm?

  4. Olá, Michele. Vc disse que 2 dos trigêmeos têm apenas madrinhas. A igreja aceitou isso facilmente? A igreja em que foram batizados é católica? Quero batizar meu matheus mas estamos com dúvidas quanto aos padrinhos. Queríamos que fossem nossos irmãos, mas os dois são homens – rs. E não sei se a igreja aceitaria. Bj

    1. Michele Kaiser

      A igreja é católica, sim. Pensei que não aceitariam duas pessoas do mesmo sexo, imaginando que fossem um casal homoafetivo. Porém, aceitaram tranquilamente. A paróquia em que batizamos que nos disse que hoje não existe impedimento, que podem ser duas pessoas, um casal, uma pessoa, dois casais ou quantos casais quisermos, mas que somente dois nomes ficariam registrados na certidão de batismo. Quando for informar-se sobre as datas, pergunte sobre isso. Pode dar o meu caso como exemplo. No fim, ficou apenas uma madrinha, sem parceiro, para Matheus e outra para o Murilo, tb sem parceiro. Marcelo foi batizado por um casal.

Deixe seu comentário