Amamentação de trigêmeos

Amamentação é um assunto meio difícil porque trata-se de algo bem íntimo. E a amamentação de trigêmeos é ainda mais delicado. Cada mulher amamenta ou não amamenta por um motivo específico e não cabe à ninguém julgar. E cada mamãe amamenta como, quando, onde ou quanto achar que deve, né? A gente só precisa ir atrás de informação.

Amamentação de trigêmeos

Amamentação do primeiro filho

Quando a Mônica nasceu, eu nem pensei SE eu ia conseguir amamentar. Achava que seria algo que ocorreria naturalmente. Preparei o bico do seio conforme orientação da obstetra (passei um creme chamado Massei). Li em algum site que as mulheres com mamilo plano ou invertido não conseguiriam amamentar seus filhos e fiquei chateada quando constatei que eu fazia parte do grupo dos “invertidos”. Sendo assim, resolvi não me preocupar muito antes que chegasse a hora.

Como fiz cesárea, me falaram que ia demorar pro leite descer. O colostro veio imediatamente e minha filha mamou no peito ainda na sala de recuperação. Eu NUNCA vou me esquecer daquele momento. Foi uma das coisas mais lindas que já vivi na minha vida. E agradeço muito às enfermeiras do hospital que me ensinaram a forma e a pega corretas.

Chegando em casa, o leite desceu em quatro dias. Tinha tanto que dizíamos que poderia amamentar mais de uma criança ao mesmo tempo (quem diria?). Mas a primeira semana foi um horror. A cada mamada da Mônica eu sentia uma cólica horrível (o útero se contraía por incentivo da ocitocina). O mamilo doía pra caramba e ela só pegava certo o peito direito. Por orientação da obstetra, comprei um bico de silicone e insisti para que ela aceitasse o esquerdo, o que acabou acontecendo depois de muita insistência.

Ela era um bebê gordinho que foi alimentado exclusivamente no peito até os seis meses, quando iniciou a introdução alimentar. Aos 10 meses, porque ela estava mamando no peito somente de manhã e antes de dormir à noite, meu leite foi secando e resolvi parar de amamentá-la. No dia 26 de junho de 2012, data que ficou marcada em minha cabeça, minha filha mamou 200ml de leite em pó como se nada fosse. Eu chorei feito criança. Parte de mim queria que ela achasse ruim para que eu me obrigasse a continuar, e outra parte de mim ficou feliz por ela ter feito a transição sem problemas.

Amamentação de trigêmeos

Com os meninos foi tudo muito diferente. Eu queria tanto amamentar! Sabia que ia ser difícil, mas li diversas informações que me deram esperança em conseguir. Eu sabia que eles nasceriam prematuros, mas não sabia o quanto. Então, tinha o sonho de conseguir amamentá-los para ajudar a se desenvolverem melhor.

Eu tinha certeza que sabia como era porque já tinha a experiência. Nem preparei o seio antes do nascimento! Só que, no segundo dia de UTI (um dia depois do parto), já me mandaram ao lactário da hospital tirar leite com aquelas bombinhas automáticas. Eu sabia que o leite ainda não viria porque no caso da Mônica tinha demorado quatro dias. Eu sabia que o colostro TINHA que sair porque eu queria esse “remedinho” pros meus prematuros de 34 semanas. Vê-los mamando NAN me cortava o coração!

Todos os dias eu ia até a UTI e insistia para me deixarem dar o leite “direto da fonte” para meus filhos. Eu insistia com as enfermeiras que o leite só ia vir quando o bebê incentivasse a produção mamando. Eu achava que maquininha nenhuma faria esse trabalho! De tanto eu incomodar, quando tinham 3 dias eles me colocaram um dos meninos no colo e me deixaram amamentar! Aquelas boquinhas tão pequenas nem davam conta do serviço, mas eu tinha toda a paciência e o amor do mundo! Logo em seguida o leite desceu.

Amamentação de trigêmeos

Primeiros dias dos meninos, primeira semana de outubro de 2013.

Eu ficava, a cada vez que ia lá, cerca de 30 minutos com cada um dos trigêmeos no colo, tentando dar de mamar. O período de UTI foi curto, apenas 15 dias, mas eu dava tudo de mim. Chegava ao hospital às 8h30, tirava leite por cerca de meia hora e ia pra UTI neonatal para vê-los. Lá, eu dava o peito das 10h30 às 12h, intercalando. Não saía muito, mas estávamos aprendendo. Eu ia pra casa almoçar e voltava ao lactário do hospital para tirar mais, depois ia lá tentar amamentá-los. À noite era a mesma rotina. Ia para casa dormir e descansar às 22h.

O uso da bomba tira leite na amamentação de trigêmeos

Bomba Tira Leite Materno Manual Confort G-TECH

Bomba tira leite manual.

Quando tiveram alta, eu tirava leite do meu peito em casa com essa maquininha manual e distribuía nas mamadeiras, para que todos mamassem ao menos um pouco do leite materno em cada mamada. Aí a pediatra me orientou parar com isso. Me disse para dar direto da fonte pra eles, que estimularia mais. Nem que desse para dois ao mesmo tempo e o terceiro mamasse fórmula naquela rodada. Ela tinha toda a razão! Passei a dar só o peito e eles aguentavam mais até a próxima rodada e ainda conseguia alimentar os três exclusivamente com meu leite durante o dia. À noite eles mamavam fórmula para que eu “fabricasse” mais. Eu tomava muuuuuita água. Matéria-prima pro leite materno!

Até os dois meses deles eu conseguia dar o peito direto sem ter que dar mamadeira (só na madrugada a gente dava). Mas aí a demanda aumentou muito. Passei a dar o peito para um bebê a cada rodada, até para que eles fizessem todas as atividades ao mesmo tempo. E mais um motivo: eu passava o dia inteiro com bebês pendurados. Estava exausta! Segui alternando entre peito e NAN até os seis meses, quando me absolvi e parei! Achei que tinha cumprido meu papel. Meu sonho era ter continuado, mas a gente tem que admitir e aceitar quando não dá mais.

Amamentar, pra mim, é uma coisa tão linda, tão maravilhosa, tão apaixonante! Não penso em ter outros filhos, mas quando penso que nunca mais vou amamentar um bebê no meu colo sinto dor no coração. Aquele olhinho olhando pra gente, aquele sorrisinho de canto da boca que dão em retribuição ao nosso e aquela carinha de sono e aconchego… Ah, faz tudo valer a pena!!

Amamentação de trigêmeos

A bomba tira leite é um dos itens do Enxoval para trigêmeos. Confira a lista completa!

26 comentários

  1. Que lindo, Michele! Amamentar é mesmo uma dádiva!

    1. Michele Kaiser

      É sim, querida! A parte que mais gostei e a única que tenho saudade! Bjs.

  2. ola Michele! Conheci o seu blog através do face e fiquei encantada!
    Não tenho filhos ainda, acredito até que estou longe de tê-los, mas saiba que já tenho aprendido muito contigo mesmo que seja para um futuro distante e dado muitas risadas e me emocionado junto com você e os pequenos! Tenho duas lindas sobrinhas e me identifiquei tbm com o post da Milena q traduziu exatamente o que sentimos por elas!
    Que um dia eu possa ser uma mãezona como vc! Parabéns!!

    1. Michele Kaiser

      Ah, obrigada pelo carinho! Que bom q vc conheceu a gente! Bjs!

  3. Renata

    Bom dia,
    Você conseguiu amamentar os meninos por quanto tempo?
    Eu tive gêmeas e infelizmente só consegui amamentar por 2 meses, porque o meu leite simplesmente secou! Me contou o coração, saber que eu nao era mais capaz de alimentar minhas filhas.

    1. Michele Kaiser

      Até os seis meses. Mas no final já era só uma mamada por dia por bebê. Com múltiplos é muito difícil ser exclusivo. Não se culpe! Dois meses é melhor que nada! Um beijo!

  4. jussara

    parabéns michele, lindo ato de amor!

    1. Michele Kaiser

      Obrigada, Jussara!

  5. mariana giovanetti

    Michele querida….parabes e obrigada por tudo que vc compartilha!!! Me ajuda mto e me da mais forças pra esperar os meus trigemeos chegarem!!!
    Oq tenho mais duvidas é sobre a amamentacao!! Mas dizem que com cada mae eh de um jeito…entao estou esperando ansiosa pra ver como sera comigo!! Penso que se for possivel, farei o mesmo que vc….intercalar os bebes…2no peito e 1na mamadeira com formula. Ou vc acha que se eu tirar leite e congelar, consigo dar so o meu?!!? Ja bebo mta agua por natureza e agora sabendo que essa eh a fonte principal, tomarei mais ainda facilmente…amo agua!rs
    Como foi com relacao a recuperacao da cesaria para ir ao hsopital todos os dias!?!?

    Obrigada querida
    Grande bjo
    Mariana

    1. Michele Kaiser

      Olá, Mariana! Comigo foi tudo bem no início. Era leite materno o dia todo e só à noite dávamos fórmula, assim meus peitos tinham tempo de fazer mais leite. Tomava muita água, muita mesmo! Mas conforme eles foram crescendo, foram exigindo muito e aí começamos a ter que aumentar cada vez mais as vezes que recebiam fórmula. Eu tirava leite com a bombinha mas, mesmo quando tirava cerca de 120ml, não era o suficiente para os três naquela mamada, entende? Mas fiz o que pude e me orgulho disso!
      Quanto à cesárea, a recuperação foi bem tranquila. Mas a maratona casa-hospital-casa me cansava muito. Teve um dia que me abaixei no corredor do hospital e fiquei lá curvada, esperando passar a dor para continuar caminhando até a UTI neo. Mas passados os primeiros 5 dias, estava tudo bem melhor. Beijos!

  6. Jéssica

    Olá Michelle!
    Adoooro suas pastagens e fico encantada com seus ruivinhos.
    Tenho um bebê de quatro meses e infelizmente tive um problema sério com a amamentação.
    Mesmo amamentando, eu tive mastite por quatro veses. Acordava na madrugada já com 40 de febre. Isso me deixava tão exausta ao ponto de na manhã seguinte não conseguir pegar meu filho no colo.
    Na última vez tive inflamação nas mamas. E consequentemente precisei tomar um antibiótico mais forte. Meu menino n podia mais mamar e com isso quase tive uma depressão. Eu não conseguia ver nenhuma mãe amamentar. Até hoje esse assunto é um pouco delicado p mim. Pq eu desejei a amamentação minha gestação inteira. É o nosso momento com nosso filho. Talvez o problema fosse com meus seios pois o bico era invertido. Mas hoje tenho plena certeza q foi falta de informação. Mas infelizmente as pessoas só servem p julgar.
    Minha maior preocupação foi com a saúde do meu filho.
    Mas graças a Deus ele tem uma saúde de ferro.
    Sua postagem indiretamente me ajudou muito com esse trauma de culpa.
    Bjo :*

    1. Michele Kaiser

      Que bom que pude te ajudar, Jéssica. Minha irmã está tendo muitos problemas para amamentar a minha sobrinha, que tem 1 mês. Pedi para ela escrever sobre isso depois que tudo estiver resolvido. Para mim, por sorte, foi muito tranquilo. Mas vejo o sofrimento dela e entendo muitas outras mães. Tentar a gente tem que tentar. Mas se não conseguir, existem outras maneiras de nutrir e dar amor ao bebê. Um beijo e fica em paz.

  7. vitoria shayane da silva

    meu deus que lindos parabens

    1. Michele Kaiser

      Obrigada!!! Um beijo!

  8. Verônica

    Que lindo! Que talento você tem para ser mamãe! Por isso ganhou esse presentão… Que Deus abençoe a sua família. Felicidades!

    1. Michele Kaiser

      Obrigada, Verônica! Um beijo.

  9. Renata

    Oi, estou meio que em CHOQUE , acabei de descobrir que estou esperando três bebês. Suas palavras são sábias, mas continuei angustiada, é minha primeira gestação e gostaria de fazer todo o possível para dar tudo certo, mas não sei exatamente oque é certo. Grata

    1. Michele Kaiser

      É tudo muito assustador. Descobrir-se grávida de trigêmeos não é nada fácil. Sei que agora é difícil de aceitar e tudo é muito preocupante. Desde a gravidez até o nascimento, os sentimento são devastadores. Mas seja forte. No que precisar de mim, estou aqui. Me escreve para contato@ostrigemeosdamichele.com.br se quiser conversar mais reservadamente. Beijos!

  10. Lúcia

    Parabéns! Amei ter lido.

    1. Michele Kaiser

      Que bom, Lúcia! Um beijo!

  11. Juliana

    Oi michele gosto muito de suas postagem sua garelinha aí linda demais. Hoje é terceiro dia dos meus Trigemeos em casa. Estou doida com as mamadas de 3 em 3h q foi o recomendado. Uma mamada está quase emendando na outra. Cada hora eu tento de um jeito nessa confusão de peito e nan.
    Eu não entendi, vc sempre deixava durante o dia em uma das mamadas um tomava nan? Os outros dois só o peito? Nao sei se os meus sugam o suficiente do peito….pq depois de uns 7 Minutos dormem, fico tentando acordar mas não voltam a mamar como nos primeiros minutos. Aí tento dar mamadeira depois. Muito medo de estar fazendo td errado! E como contar as horas de cada mamada se uma emenda na outra?
    Por favor tem alguma dica? Bjs

    1. Michele Kaiser

      Difícil, né?? Eles demoraram tanto para mamar nos primeiros dias que uma mamada emenda na outra. Teve dias que passei revesando entre os três o dia todo. Mas, o que eu fazia era colocar um numa teta, outro na outra e o terceiro ganhava NAN. Teve épocas que eu tirava com bombinha para ter certeza da quantidade. O problema, segundo a pediatra, é que é o nenê que estimula a fabricação do leite, então, se tirarmos todas as vezes com bombinha, a quantidade pode diminuir. Você só saberá se eles estão se alimentando bem quando os pesar e perceber o aumento de peso. Fala com a pediatra. Beijos.

  12. Domênica

    Oi Michele!! Adoro ler seus post’s. Tenho gêmeos de 1 mês e to intercalando mamadas no peito e mamadeira, lendo a sua experiência de amamentar os trigêmeos vejo que ainda posso conseguir amamentar somente com peito.
    As vezes temos que filtrar alguns comentários, julgamentos pra continuar e conseguir alcançar os objetivos!
    Beijos e parabéns pelos filhos lindos!

Deixe seu comentário