A eterna insatisfação do ser humano

O ser humano está sempre buscando alguma coisa, mesmo quando acha que não está buscando coisa alguma. O anseio faz parte do nosso ímpeto, ter algo a esperar faz parte do nosso ser. A busca por essa satisfação (há quem chame de felicidade) é eterna, jamais alcançada. Mas ela é assim porque tem que ser. Se alcançada, dura pouco porque novos anseios surgem para mover nosso corpo e mente. A eterna insatisfação.

Eu passei dez anos tomando anticoncepcional, até que resolvi que queria engravidar. Naquele momento, depois de seis meses de testes de farmácia negativos, me deparei com a ironia de “pô, agora que eu queria, não vem”. Foram quase dois anos até conseguir ver aquelas benditas duas listras no teste e estar grávida (da Mônica). Um ano e meio após o nascimento da primogênita, planejei um irmão. Engravidei no segundo mês de tentativas. Mas aí vieram três bebês! “Peraí, não era isso que eu tinha planejado! Socorro!!” Passaram-se muitos dias até eu me acostumar com a ideia e aceitar a gravidez múltipla. Taí o motivo do espanto quando alguém me pergunta o segredo para engravidar de trigêmeos. Penso: “o segredo é não querer”.

Leia toda a nossa história

Depois de estar grávida do segundo, terceiro e quarto filhos ao mesmo tempo, não há o que fazer se não aceitar e aproveitar. Até que tive uma gravidez tranquila, e os meninos nasceram de 34 semanas e com 2 quilos cada, precisando de pouco tempo de UTI neonatal (apenas duas semanas). Com a vinda para casa e os cuidados nos primeiros meses (os mais difíceis com três recém-nascidos), eu virei uma mãe zumbi. Tendo uma mais velha, amamentando três e cuidando durante a noite, eu realmente poderia ter sido escalada para o elenco de The Walking Dead. Aí, no auge da minha estafa física e mental, uma amiga me visitou e me disse que estava querendo engravidar pela segunda vez há três anos, sem sucesso. Havia tentado, nesse tempo, duas vezes a fertilização in vitro. Chegou a colocar três embriões em uma das tentativas e não tinha dado certo. Enquanto ela me olhava com aquela cara de “uns com tanto e outros com tão pouco”, nós nos abraçamos e eu me perguntei “por que a vida é tão injusta?”.

Eterna insatisfação

eterna insatisfaçãoHá alguns dias, meu marido e eu fomos ao supermercado somente com a Mônica e o Matheus. Murilo e Marcelo ficaram em casa com nossa babá. Diferente do que acontece quando saímos com os quatro, ninguém veio falar conosco; ou ficou nos apontando de longe; ou sussurrando pelo mercado, falando sobre a gente. Ninguém veio me dar parabéns ou dizer “pobre mãe”, como escuto com tanta frequência. Meu marido e eu pudemos fingir que somos normais, um casal com dois filhos. Pensamos: “ah, assim é muito fácil”. Só que na verdade não é. A gente só acha fácil porque teve trigêmeos. A gente só acha fácil porque vive uma realidade de insanidade mental e, quando lida com apenas dois, acha barbadinha. Melzinho na chupeta.

Mas tenho certeza que se nós tivéssemos tido somente dois, estaríamos cansados, acabados! Estaríamos, talvez, reclamando de como é difícil ter dois de idades tão próximas. Íamos dizer que é muito caro sustentar dois. Íamos estar estressados. Ah… a eterna insatisfação do ser humano: se não tem, quer. Se tem, queria não ter tido.

Hoje, tudo que eu quero é não engravidar mais. Quero criar meus filhos com todo o amor que tenho no meu coração, mas quero evitar gravidez, coisa que busquei durante dois anos antes dos meus filhos. Que ironia essa de morrer de medo de engravidar depois de ter passado tanto tempo torcendo para o teste ficar positivo. A gente nunca está satisfeito, né?

Por fim, a eterna insatisfação do ser humano não precisa ser algo negativo porque, afinal, é isso que nos motiva: a busca por nossas realizações. A busca pela felicidade. Mas não podemos esquecer de procurá-la ao nosso lado porque, bem, ela pode já ter chegado e estar conosco. Até mais!

10 comentários

  1. Gerlane

    Embora não esteja grávida de trigêmeos, acompanho o seu blog há uns dois meses. Aproveito para dizer que admiro muito a sua conduta como mãe, mulher e sua coragem de ainda encontrar tempo para nos deixar dicas preciosas. Outro dia me vi tendo indagações parecidas às suas. Sempre falava que gostaria de ter apenas um filho, idealizava, pensava nisso como um planejamento de vida, afinal um filho apenas gera menos despesas, maiores possibilidades quanto a muitas coisas. Aí, tive um casamento de sete anos em que o companheiro não quis filhos, acatei e quando terminado o casamento, já com quase quarenta anos, pensei que não mais haveria tempo de encontrar um pai em potencial e que já era tarde demais. Fiquei resignada. Pois bem, encontrei um amor, companheiro, dedicado, planejamos, engravidei até com uma certa facilidade aos quase 42 anos e hoje me vejo pensando em ter mais um. Coisas do ser humano. Vai tentar entender…

    1. Michele Kaiser

      Que bom que você encontrou seu marido e que ele desejou tb ter filhos! Muitas vezes mudamos mesmo de ideia. As prioridades mudam, nos adaptamos com outras realidades. Obrigada por nos acompanhar. Beijos!

  2. Bruna

    Super me indentifico !!
    Tenho 1 meninao de 6 anos e gemeos com 10 meses!!
    Quando olho minha casa e me deparo com o caos total, eu me pego pensando o pq eu quis comecar tudo novamente, mas qdo ouço os gritinhos deles brincando com o meu menino eu me pergunto novamente e pq nao eu ?
    É dificil sim , mas assim como vc disse , qdo saimos com 2/3 fica tudo muito normal kkkk.

    Adoro seus textos !!!

    1. Michele Kaiser

      Hehehehe… Nossa vida tem muitos altos e baixos, né? Obrigada pelo carinho, Bruna!

  3. Iorhana

    Lindo texto. Motivador 😀

    1. Michele Kaiser

      Obrigada pelo carinho!

  4. Domênica

    Michele, passei a te acompanhar no início do ano por indicação, foi quando descobri estar grávida de gêmeos! Temos um menino de 5 anos e veio a vontade de ter mais um filho, aí vieram mais dois meninos. As vezes me pego preocupada com orçamento, educação, enfim… Mas logo vem a vontade de ver os 3 juntos, de já ter os bebês no colo, aquele cheirinho de nenen, de vê – los crescendo com saúde, que é o q toda mãe e todo pai esperam! Abraços

    1. Michele Kaiser

      Obrigada pelo carinho, Domênica! Que bom que te indicaram o blog. Entendo o que você está sentindo… A gente fica num mix de sentimentos, né? Mas o melhor é isso mesmo, focar no lado positivo! Ver os três meninos crescendo com saúde. Parabéns pela gravidez gemelar. Beijos!

  5. Franciele Franco

    Nossa Michele, fico encantada com suas com suas histórias e sempre me pego imaginando eu com trigêmeos kkkk, chega a ser engraçado minhas imaginações.
    Tenho uma filha de 3 anos e meio e tenho me preparado psicologicamente kkkk para engravidar novamente, sempre brinquei que queria ter gêmeos, e agora vai que vem mesmo??
    Como será?? Minha cabeça faz um nó..
    Parabéns seu blog é o máximo, e sua família linda demais. Deus abençõe

    1. Michele Kaiser

      Muito obrigada pelo carinho!
      Ter múltiplos é viver a maternidade intensamente, a um nível inimaginável! Mas é muito legal se sentir especial. Um beijo!

Deixe seu comentário