Um filho pode dar mais trabalho que quatro

Muita gente me pergunta como é o “trabalho” que a gente tem com quatro filhos. A maioria das pessoas que sabe o número de filhos que tenho se assusta e, de fato, às vezes até eu me assusto pensando nisso. Mas, a bem da verdade é que nosso trabalho com quatro não é quatro vezes maior do que seria com um. As mães sabem que a vida muda bastante depois que temos um filho. Passar de nenhum filho para um filho é uma mudança muito grande, e passar de um para dois filhos também é. Mas, creio que a soma de mais dois ou três filhos ao total não modifique tanto assim o trabalho que temos.

papai com os 4Como tenho quatro praticamente da mesma idade, sempre pensei que conseguiria cuidar dos quatro meio junto, todos fazendo tudo ao mesmo tempo, na mesma hora. Mas essa diferença de dois anos da Mônica para os meninos ainda pesa bastante, o que acaba separando nossa rotina com as crianças entre Mônica X trigêmeos.

Quando a gente tem um filho, cria ele com mais negociações. Explico: Mônica sempre teve uma rotina flexível. Ela acorda na hora que quiser acordar, toma mamadeira de leite, brinca, almoça, vai à escola, volta, janta quando der fome, toma banho, brinca mais um pouco e vai dormir. Quando digo que está na hora de dormir, ela sempre me enrola com alguma coisa. Tem dias que dorme às 21h, outros às 23h. Tem dias que acorda às 8h e outros que acorda às 10h30. Ela tem um monte de manias para comer, muitas delas porque um dia alguém cedeu às suas frescurinhas. Demos feijão sem o grão e aí ela resolveu que nunca mais ia comer o grão, só o caldo. Outro dia ela inventou que não gostava de cebola… Aquelas coisas de criança que vai crescendo e ficando seletiva. Enfim, tudo com a Mônica sempre foi mais aberto a conversa.

Já com os meninos, nos obrigamos a ter uma rotina imutável. Tínhamos que fazer tudo com hora marcadinha, deixando as coisas mais organizadas para que pudéssemos dar conta de tudo. Sendo assim, faz muito tempo que eles acordam às 7h30, tomam mamadeira, comem algo às 9h, brincam, almoçam às 11h30, dormem das 12h às 14h, lancham às 15h, jantam às 18h30, tomam banho às 20h e dormem às 21h. A margem de erro dessa tabela é de meia hora para mais ou para menos, existindo uma ressalva quando estão doentes. Tudo que fazemos é controladinho. As crianças ficam felizes e nós então, nem se fala.

Quando me perguntam como fazemos para colocar esse batalhão de gente para dormir, respondo com sinceridade que eles vão de bom grado. Quando a gente diz que está na hora de ir para cama, eles vão e pronto, porque estão acostumados com essa rotina. Muitas noites, os trigêmeos vão dormir e meu marido e eu conseguimos conversar, curtir a Mônica e/ou assistir um filme ou um episódio de uma série. Temos esse tempo para nós por causa da rotina.

Então eu arrisco dizer que, de vez em quando, a Mônica nos dá mais trabalho que os trigêmeos. Ela reluta para ir dormir, não quer comer. Eles comem de tudo, não tem nenhum alimento que eles não aceitem provar. Quando estou dando comida e um deles começa a fazer manha, eu ignoro aquele e dou comida aos demais. Aquele que não queria percebe que vai ficar sem e termina com a birra na hora. Talvez por serem muitos, eles estejam sempre “buscando seu lugar ao sol”. Com medo de perder a oportunidade e ficar sem. Seja o assunto comida, ou afeto, ou atenção.

E é por isso que digo que o “trabalho” com quatro não é quatro vezes maior. E sim, às vezes pode ser mais difícil cuidar de um do que cuidar de quatro (não estou me referindo aos custos financeiros, nem estou falando sobre cozinhar ou lavar roupa, sobre isso falo no post um filho não vale por três). Apesar de brigarem bastante, os quatro têm uns aos outros para brincarem e se distraírem. Eles aprendem desde criança a dividir as coisas, começando pelo pai e pela mãe. A nós, pais, resta tentar balancear essa equação com sabedoria.

Até mais!

3 comentários

  1. Gabriela

    Bem, tenho gêmeos e agora estou gestante de uma menina. Meus gêmeos funcionam na rotina, tbm. A diferença deles para a menina será de 4 anos, então acho q ela não vai entrar na rotina deles da forma q eu achava antes de ler esse texto.

    1. Michele Kaiser

      No início não, mas quem sabe você consegue colocá-la na rotina deles depois de 1 aninho… Você já tem a experiência da rotina, acho que vai se dar melhor do que eu, que não ligava tanto para rotina quando tinha somente 1. Um beijo.

  2. Mariane

    Bem assim!! Tu falando da Mônica, parecendo na verdade estar falando do Augusto( meu único) euuu hein?! Quanta frescurinha que demos brecha e paaan..”viciam” nas manias…
    É…As vezes que tenho uma creche com uns 10…. eu nao sei se aí a bagunça e tão grande que nem aqui…. esses dias minha cunhada chegou e literalmente foi afastando os brinquedos com os pés! kkkkk

Deixe seu comentário