Grávida de trigêmeos

Grávida de trigêmeos, e agora??

grávida de trigêmeos

Grávida de 33 semanas e meia, 3 dias antes do parto.

Você se descobriu grávida de trigêmeos? Tendo feito um tratamento de fertilização ou não, a descoberta de uma gravidez trigemelar é sempre um choque. Mesmo que a gente esteja tentando engravidar há tempos, essa é uma daquelas informações que a gente demora para processar. E para acreditar também!

Eu descobri que estava grávida de trigêmeos aos poucos. Descobri minha gravidez com 4 semanas, mas só na primeira ecografia foi que descobrimos que tinha dois sacos gestacionais. Como o exame foi feito com 6 semanas, não dava para ouvir batimentos cardíacos e a médica não percebeu que em um dos sacos gestacionais tinha 2 embriões.

Apenas 10 dias depois, com quase 8 semanas, descobrimos com outro médico, em outro laboratório que eram três, e não dois bebês. Ficamos sem fôlego! Não é uma informação muito fácil de engolir, sejamos sinceros. Na hora a única coisa que pensei foi: como isso foi acontecer comigo?

As principais preocupações

As primeiras preocupações que surgem são com relação à gravidez.

“De quantas semanas nascem trigêmeos?” Corri para a internet e achei relatos de mães que haviam tido seus bebês desde 28 até 34 semanas. Queria ser uma dessas que chegou nas 34 semanas e consegui! Hoje, mais de três anos depois de ter acontecido comigo, já conheci mulheres que chegaram a 36 semanas e uma que chegou a 38!

Leia essas histórias aqui

“Será que vão precisar de UTI neonatal?” Dentre as histórias que tomei conhecimento, apenas os bebês que nasceram com mais de 35 semanas de gestação não precisaram da UTI neonatal. Mas mesmo nascidos com 36 podem precisar.

“Será que vai ter vaga no hospital?” Minha cidade não é tão grande, mas para cá vêm muitas mães de municípios vizinhos ter seus bebês. Por isso, as UTIs nos hospitais credenciados ao meu plano estavam sempre lotadas. Isso me deixou aflita durante boa parte da gestação, mas minha obstetra me disse para não sofrer por antecedência porque fazia mal para os bebês. Hehehe. No final deu tudo certo!

“Meu médico é especialista em múltiplos?” e “Será que preciso procurar um especialista?” Isso é muito importante. É importante a gente se cercam de pessoas com experiência com múltiplos. Isso inclui o médico que faz os ultrassons. Fomos muito bem assessorados durante a gestação por um médico muito bem conceituado, que sabia interpretar muito bem o que estava acontecendo. Existiu a desconfiança da Síndrome da Transfusão Feto-Fetal e ele soube nos orientar muito bem. Por sorte não se confirmou.

“Como são as ecografias?” Até a ecografia das 12 semanas, você faz uma ou duas. Nessa ecografia das 12 semanas é possível medir a Translucência Nucal para detectar a existência de síndromes (como a Síndrome de Down) ou cardiopatias congênitas. Alguns médicos conseguem determinar o sexo do bebê. Com múltiplos, sinto informar, você terá que pagar por bebê. É justo, já que o médico analisa cada bebê um a um.

Conforme vai andando a gravidez, vão surgindo dúvidas sobre amamentação.

“Como vou amamentar três bebês?” ou “Como é a amamentação de trigêmeos?” Eu li que o ideal era a gente dar um peito para um, o outro peito para o outro e deixar o terceiro na mamadeira. Na próxima rodada, trocar quem tinha ganhado mamadeira e ir fazendo esse rodízio. Claro que na prática a gente tem que levar várias outras coisas em consideração. Por exemplo, quanto tempo a gente vai conseguir ficar nessa função do rodízio. É difícil viver em função da amamentação de múltiplos e precisamos ver na prática o quanto conseguiremos amamentar. Eu fui até os 6 meses, mas no final já estava amamentando no peito cada um apenas uma vez por dia.

“Gente, e o enxoval?” Pensei: “Vou ter que fazer chá de fraldas e implorar para as pessoas me darem muitas! Vou ter que ter muitas fraldas e fazer compras faraônicas!” Bom, na prática as coisas acabaram sendo mais simples. Percebi que não precisava de tantas coisas e escrevi um post muito bem detalhado, que merece ser analisado por quem está grávida de trigêmeos:

Enxoval para trigêmeos

No mais, todas as dúvidas que temos vão sendo sanadas. O importante é não sofrer por antecedência e deixar as coisas acontecerem. Esteja cuidada por um bom obstetra, especialista em múltiplos, e por um médico ecografista que tenha bom equipamento e experiência com gestações de gêmeos, trigêmeos ou mais. E, por favor, curta sua gestação! Boa sorte e até mais!

grávida de trigêmeos - 31 semanas

2 comentários

  1. Adorei seu blog. Gostaria muito de saber não como é ter trigêmeos exatamente, mas como é ter 4 filhos pequenos. Assim, sua visão geral sobre o assunto, hahaha. Não sei se já fez algum post assim e poderia me indicar… tenho muita dúvida sobre ter 3 ou 4 (estou indo pro terceiro, mas as vezes parece que não é o momento de parar ainda, só quando acordo no meio da noite com algum choro é que penso que tá bom demais assim , hahaha).

    1. Michele Kaiser

      Olha, eu acho difícil porque parece que a gente nunca dá conta de dar a atenção ideal, que cada um merece. Mas quando crescerem acho que vão adorar ter uma família grande. Três filhos deve ser o número ideal. Beijos.

Deixe seu comentário