A eterna competição entre irmãos

Quando as pessoas vêem meus filhos comportadinhos, de mãos dadas, não imaginam o que acontece em casa. Há um lado bem chatinho em ter múltiplos ou muitos filhos na família: a eterna competição entre irmãos!

Eu já parei para pensar várias vezes em porquê meus filhos estão sempre um pouco atrasados no desenvolvimento. Quando comparados a outras crianças, meus filhos sempre tiveram os marcos de desenvolvimento mais tarde. Andaram depois (aos 1 ano e 6 meses) e falaram depois (somente aos 2 anos e 6 meses). O desfralde dos trigêmeos foi com 3 anos e 3 meses. Nada muito sério, claro, mas sempre me dá uma agonia ver que os filhos dos outros montaram quebra-cabeça antes deles, brincam de bola harmoniosamente e entendem bem mais facilmente as regras das brincadeiras.

Com frequência pensei que isso podia ser porque eles são prematuros. Nasceram de 34 semanas. Mesmo tendo alcançado os valores de peso e comprimento de crianças a termo aos 3 meses, eu sempre pensei que a culpa era da prematuridade. Nunca quis pensar que meus filhos não eram inteligentes. Mas tendo a irmã como comparação, os coitadinhos estão sempre muito atrás.

Competição entre irmãos

Meus trigêmeos são bem amigos uns dos outros quando estão em público. Às vezes eu fico até envergonhada porque eles são tão unidos que muitas vezes não dão espaço para outras crianças se aproximarem. Esse é um dos motivos para termos optado em colocá-los em um escola grande, com diversas turmas, em turmas separadas. Acreditamos que eles precisem socializar mais com outras crianças e serem vistos como Marcelo, Murilo e Matheus e não “os trigêmeos”.

Os meninos têm um costume muito chato de sempre brigarem pelo brinquedo, livro ou objeto. Ao invés de tirarem proveito da brincadeira, e assim prestarem atenção nas regras, eles estão muito mais preocupados em garantir que o irmão não encoste naquilo que eles estão segurando. Mesmo que a gente dê um objeto para cada um, eles sempre estão de olho comprido para o objeto que o irmão está segurando. Creio que seja porque precisam garantir que não é melhor que o deles. Precisam ter certeza que não foram passados para trás.

Essas brigas frequentes devem acontecer por causa de alguma coisa instintiva do ser humano. Desde sempre eles querem competir para ver quem pega o objeto primeiro. Podem rolar chutes, socos, empurrões e ponta-pés, mas o que importa é conseguir aquilo para si e “vencer”. Que graça tem brincar com uma bola sozinho, se o objetivo é um chutar ou jogar para o outro? Bem, sei lá, mas nada convence os meninos a jogar entre si e o único jeito de não rolar briga é dar uma bola para cada um.

competição entre irmãos

Matheus, Marcelo, Murilo e Mônica. Marcelo observando o que Matheus está fazendo e Murilo cuidando o comportamento da Mônica.

Estímulo dividido em três

Tenho certeza que, se eles não fossem trigêmeos (ou que se eu só tivesse a Mônica e um dos meninos), seria muito diferente. Se nós pudéssemos dar um brinquedo para um dos meninos e passar bastante tempo ensinando ele a brincar, interagindo com ele e curtindo o brinquedo, a relação com o objeto seria outra. Tenho certeza que meus filhos teriam caminhado mais cedo se eu tivesse tido a disponibilidade de ficar o tempo todo com cada um segurando as mãozinhas e incentivando que caminhasse. Mas eu tinha que dividir meu tempo para isso com três e o estímulo acabou sendo bem menor do que o que Mônica recebeu.

Não é nem justo comparar como foi criar a Mônica sozinha com o que é criar os três meninos ao mesmo tempo. Embora tenha muitas coisas positivas (como o fato de eles sempre terem um amiguinho da mesma idade para brincar), a gente fica eternamente com aquele sentimento de que não está fazendo certo. A dúvida se estamos fazendo o suficiente ou o melhor de nós permanece. O medo que me acompanha é se eles estão recebendo o estímulo necessário e suficiente. E se o excesso de competição entre irmãos não vai colaborar para que sejam mais violentos com outras crianças ou que não saibam lidar com frustrações.

Parece que, realmente, está na hora de irem para a escola. E separados! Até mais!

6 comentários

  1. Danielle

    Ola michele como vai?
    Sei que aqui o assunto é outro, mas seu filho voltou a tomar leite??
    Meu bb de 14 meses também está recusando leite de lata, fico preocupada com a qtdade de liquido que ele consome por dia!! Estou dando sucos e água,mas não sei se é o suficiente pra ele ficar bem hidratado!! Como vc fazia com o seu filho??

    1. Michele Kaiser

      Aquele que não toma leite começou a toma iogurte líquido. Ah, e meu marido sempre toma uma vitamina de leite com banana e Nescau e ele experimentou e gostou. Sou contra o Nescau, mas se botar só uma colherzinha não tem problema. Tenta outros tipos de sucos (natural de laranja, uva, melão, etc.) e vitaminas de leite com frutas. Será que ele aceita? Beijos.

  2. Danielle

    Obrigada por responder!!
    Então, ainda não tentei a vitamina, vou tentar!!
    Estou dando sucos de frutas, mas acho que eke toma tão pouquinho!! Toma no copinho sempre, mas nunca o copinho cheio!!
    Seu filho toma muito suco e água??
    Bjo

    1. Michele Kaiser

      Toma suco de uva integral e de laranja natural tb. E ele gosta do iogurte, aqueles de garrafa bem líquido. Beijos!

  3. Fernanda

    Adorei o post. No meu caso os meus Trigemeos são 2 meninas e 1 meninos. Ocorre o mesmo lance da competição mas muito mais entre as meninas. E qdo competem pela nossa atenção, pelo colo, doi o coração ❤️.

    1. Michele Kaiser

      Sim, a competição pela nossa atenção é a parte mais dolorosa. Beijos.

Deixe seu comentário