As trigêmeas da Dayane

Dayane Costa recebeu, junto com o marido Danilo, o triste diagnóstico de que não poderia ser mãe. As razões eram muitas: ovários policísticos, endometriose, trompas não funcionais. Mas sua fé fez o casal buscar um tratamento de fertilização e a recompensa veio tripla logo na primeira tentativa! As trigêmeas da Dayane são Mariana, Isabella e Gabriela; e completaram 1 aninho em novembro.

trigêmeas da Dayane

Danilo e Dayane com as filhas trigêmeas.

“Nossa história se dá em Cuiabá-MT, onde eu, Dayane Costa, 28 anos, casada com o Danilo Gregory, 31 anos, vivemos, nos conhecemos em 2007 no período de faculdade, namoramos, casamos e estamos juntos há 9 anos.

Em 2011, desejávamos ter filhos, tentamos de forma natural por alguns anos. Como não aconteceu, procuramos ajuda de especialistas até descobrirmos que por conta de vários fatores (SOP – Síndrome de Ovário Policístico, possível endometriose e trompas não funcionais) certamente não engravidaríamos, exceto se fizéssemos uma Fertilização in vitro (FIV). Confesso que foi bem doloroso receber esta notícia. Nossa consulta com o especialista se estendeu por cerca de duas horas, analisando muitos exames. Mesmo ele sendo muito atencioso e criterioso nas palavras, sempre é muito difícil ouvir aquilo que não estávamos preparados para ouvir. Chorei aquele dia todo. Passado o impacto da notícia, respiramos fundo, oramos a Deus para que fosse feita a vontade Dele. Agradecendo por ainda ter a opção da FIV ante o avanço da medicina reprodutiva.

Em nossa primeira tentativa, após a transferência de três embriões, recebemos a melhor notícia de nossas vidas: estávamos grávidos! Uma semana depois, na primeira ultrassom, recebemos a notícia de que os três embriões implantados estavam ali, firmes e fortes, cada um em sua placenta. Três coraçõezinhos, três vidas dentro de nós! Apesar do susto, a alegria era muito maior, porque o que mais importava era que o nosso sonho estava se realizando.

A gestação das trigêmeas da Dayane

A partir dali, nossa gravidez foi bem cautelosa, com muitos cuidados. Tomamos a decisão de não criarmos muitas expectativas porque os riscos eram altíssimos. O lema era: um dia de cada vez e acreditar nos planos de Deus sempre!

trigêmeas da DayaneEu e o Danilo optamos em não dar importância aos comentários relacionados ao “trabalho” que teríamos por serem três. O fato de nos entendermos bem, e de na nossa relação existir companheirismo tornou tudo mais fácil. E com certeza, por desejarmos demais nossas três filhas, já sonhávamos com muitos sorrisos, muitas preocupações, muito amor. Muita bagunça, muita beleza, muito cansaço, muita fofura, muitas responsabilidades estariam por vir. E tudo isso junto é o que nos fazia e faz muito mais felizes.

Tivemos uma intercorrência com 21 semanas. O colo do útero estava muito curto, então foi necessário um procedimento cirúrgico para realizar a cerclagemOcorreu tudo bem e entramos em repouso absoluto. Internação por 20 dias, fui afastada do trabalho e após alta mantive o mesmo repouso hospitalar em casa.

O nascimento das trigêmeas da Dayane

Até que no dia 5 de novembro de 2015, durante a madrugada, acordei para ir ao banheiro e percebi que estava perdendo líquido. De início tive dúvida do que estava acontecendo, voltei a deitar na cama e quando virei de lado, perdi mais líquido. Foi quando eu acordei o meu esposo e relatei o que estava acontecendo. De imediato fomos para a maternidade.

Chegando lá, após ser examinada, o médico plantonista nos confirmou o que já desconfiávamos: uma das bolsas havia estourado. Com 31 semanas, data não planejada por nós, mas por vontade delas, nossas pequenas vieram ao mundo! Foi tudo tão rápido que só consegui ouvir bem de longe. Por ser bem baixinho, três pequenos choros, suficientes para me encher de emoção e não segurar as lágrimas.

Graças a Deus elas nasceram bem, quanta felicidade!!! Mariana nasceu pesando 1,400Kg e 37,5 cm de comprimento; Gabriela pesando 1,265Kg e 36 cm de comprimento; e a Isabella com apenas 890g e 35 cm de comprimento. Todas as nossas pequenas grandes guerreiras ficaram na UTI neonatal apenas para ganho de peso, graças a Deus não tiveram nenhuma intercorrência!

O período na UTI neonatal

Sentia uma vontade enorme de vê-las, mas foram diretamente para a UTI neo e só pude vê-las na tarde do dia seguinte. Quando as vi, as lágrimas caíram de tanta emoção. Tamanha era a emoção que nem consigo descrever. Era uma mistura de alegria e medo de vê-las tão pequenininhas, vulneráveis e saber que ficariam dias longe de mim.

Confesso que sair daquele hospital com as mãos vazias não foi nada fácil, mas era esperado por serem prematuras e eu precisava ser forte. Isso porque a partir daquele dia tínhamos que seguir o horário estipulado pela UTI para visitá-las. Pensa na angustia que eram as horas longe delas…

Após 24 dias de UTI, Mariana e Gabriela receberam alta e vieram para casa, já Isabella precisou ficar lá por 36 dias.

as-trigemeas-da-dayane-6as-trigemeas-da-dayane-7

Ajuda em casa

Em casa, inicialmente tentamos manter a rotina da UTI. Desde então, temos a ajuda de um anjo iluminado que atende pelo nome de Vovó Helena…. Ela abriu mão da sua vida, do seu emprego, da sua casa, dos seus afazeres para viver a nossa vida. Ela quem me auxilia a cuidar das três diariamente. Já a noite somos somente eu e o Danilo.

E hoje com todas em casa e, principalmente, saudáveis e bem, podemos nos sentir realizados e vivendo uma felicidade que nem cabe dentro de nós! Quem nos conhece de perto sabe o quanto desejávamos viver esse sonho. E que sonho encantador!

Desde a notícia da gravidez e por todos esses dias, minhas orações e conversas com Deus são somente de agradecimento e para que elas tenham saúde e força para viver a vida e Ele tem me ouvido!

Gratidão sempre a Deus por todos os momentos maravilhosos que vivemos e temos vivido!

Isabella, Mariana e Gabriela: nosso trio amado e desejado”.

trigêmeas da Dayane

Isabella, Mariana e Gabriela completaram 1 ano em 05/11/2016.

Que história linda de amor e superação às barreiras! A união da fé com a medicina, que pode proporcionar a realização do sono de ser mãe. Parabéns, Dayane!!

Leia mais histórias de famílias com trigêmeos

Você também tem trigêmeos e gostaria de contar sua história aqui? Escreve para contato@ostrigemeosdamichele.com.br e eu te digo o que fazer!

Até mais!

1 comentário

  1. Edileuza

    Família abençoada, perfeita…Deus os abençoe sempre….

Deixe seu comentário