Rotina do sono: dicas para a noite de Natal

O Natal está chegando e é uma data muito especial para passar com a família. Esse ano será a primeira vez que teremos uma festa grande, com hora marcada para as atividades e receberemos a visita do Papai Noel. Por causa disso, fiquei muito preocupada com a disposição das crianças. Como tenho quatro filhos (os trigêmeos, de 3 anos, e a Mônica, de 5), fiquei aflita em pensar como mudar a rotina deles nesses dias festivos e busquei dicas para a noite de Natal.

Eu sou fã da rotina e não vivo sem ela. Já com a Mônica eu seguia rotina desde os 6 meses para ter horário para acordar, fazer as refeições, sonecas e banho. Na minha opinião, a rotina é a melhor amiga de uma mãe. Depois que tive três bebês recém-nascidos para cuidar ao mesmo tempo, a rotina passou a ser essencial.

Para me tranquilizar, conversei com a consultora do sono Ana Schoriza. Ela é consultora de rotinas familiares, do sono na gestação e infância. Além disso, ela é doula e consultora de aleitamento materno. Mas sabe como eu conheci ela? Ela é mãe de trigêmeos e mais uma, como eu!

Quando fala em rotina, Ana Schoriza defende que a criança tenha horários programados para as atividades do dia-a-dia. “É muito importante para a criança saber o que vem depois, a chamada previsibilidade. É uma forma de controle da ansiedade e aprendizado, com bons hábitos”, explica. Segundo Ana, a rotina não precisa ter horários muito rígidos, desde que a criança entenda a sequência dos acontecimentos do dia.

Adaptando o sono: dicas para a noite de Natal

Michele: Que dicas você daria para readaptação da rotina dos bebês e crianças na noite de Natal?

Ana Schoriza: Esclareço que o fato de entender a importância de a criança ter um ritmo diário não significa que nunca vão poder dormir mais tarde do que o habitual, o que pode ocorrer tranquilamente na noite de Natal e Ano Novo. Desde que isso não traga um grande aborrecimento para a criança, ou que não se trate de um bebê de poucos meses.

Por exemplo, no caso de criança de 1 ano, que acorda às 8h e faz soneca das 13h às 15 horas, a dica que eu daria é tentar encurtar esta soneca. Deixe dormir uns trinta minutos, acorde. Faça um passeio ao ar livre (lembrando que a luz natural ajuda a regular o hormônio do sono), e coloque a criança para tirar uma soneca bem mais para o fim da tarde, à vontade. Mas precisa se empenhar neste dia, dar um banhinho relaxante, fazer uma massagem, apagar as luzes e persistir com muita paciência e calma, pois os hábitos não se mudam de um dia para o outro.

O ideal seria tentar começar a fazer esta adaptação uns dois dias antes da data da festa. Então, no dia da festa, acordar a criança mais cedo (7h ou 7h30) para que a primeira soneca também comece mais cedo. No entanto, depois deste dia, os pais teriam que ter o trabalho de fazer o caminho inverso para tudo voltar à rotina anterior.

M: O que seria o melhor para a criança não ficar estressada e cansada? Levar para casa na hora de costume? Levar berço e deixar dormir na festa?

A: Caso a soneca diurna não tenha dado certo por algum motivo, esteja preparado para a possibilidade de ter que voltar para casa mais cedo. A dica é planejamento. Que tal programar a troca de presentes para às 20 horas, seguida do jantar? Deixe o resto para o outro dia. Já verifique de antemão se o local em que passarão o fim de ano tem um espaço especial para seu bebê embarcar no sono tranquilamente, levando todos os apetrechos necessários. Que tal um berço portátil? Os pais podem propor também um horário diferente para fazer um picnic ou café da manhã no dia 25 durante o dia. Com brincadeiras e histórias especiais para as crianças, fazendo daquele Natal inesquecível.

dicas-para-a-noite-de-natalM: E no caso de bebês menores de 6 meses?

A: Nos primeiros meses de vida, o bebê não consegue ficar acordado entre um soninho e outro por longos períodos. A partir de cerca de 3 meses, os bebês já começam a definir padrões de sonecas (de duas a três por dia, geralmente). Ele consegue manter-se acordado por volta de uma ou duas horas (ou um pouco mais), o que permite algum planejamento respeitoso, ainda que limitado, do dia festivo. Nestes casos, sugiro às mamães que anotem por dois ou três dias antes do dia festivo os horários de sonecas do bebê para conhecer melhor os seus padrões de sono. Assim, criando algumas atividades típicas de fim de ano (fotos, interação e colinho dos visitantes e familiares) em horários em que a criança estará bem acordada. Porém, sem grandes expectativas, de forma mais proveitosa e tranquila.

Ressalto que exigir da criança o que o corpo dela não está preparado para fazer pode deixá-la super estimulada e acabar em acessos de choro, deixando os pais bem chateados depois da festa. Caso a criança ainda não consiga manter boas sonecas ao longo do dia, é possível nesta fase de idade trabalhar a rotina da criança e técnicas para acalmá-la, o que demanda um tempinho maior do que dois ou três dias. No entanto, fique de olho nos sinais de sono: esfregar ou abrir bem os olhos, bocejar, puxar a orelha, mover-se para frente e para trás, perder a coordenação e o interesse por brinquedos. Planeje-se para surpresas sempre com uma carta na manga. Por exemplo: levar uma roupa reserva para o bebê e mamãe, não esperar demais para tirar fotos ou dar presentes, flexibilidade de horários da ceia – aproveitar o momento de sono para não correr o risco de ficar sem jantar. Aproveitando, assim, o que for possível com o seu bebê. Isso porque o melhor presente de Natal para um bebê tão pequeno, além do aconchego e tetê materno, pode ser uma ótima noite de sono.

M: Que outras dicas você poderia dar para que todos ficassem felizes (pais e filhos)? 

A: Acredito que o primeiro passo para que o fim de ano seja feliz é trabalhar com expectativas reais. Ter em mente as necessidades de sono da criança de acordo com a idade e seus próprios hábitos atuais. Se precisam ser trabalhados para mudarem. Não ficar estressada ou cansada e saber de antemão que terá que respeitar os limites da criança.

No coaching maternal, gosto muitos dos seguintes passos: formular objetivos, elaborar um plano de ação e atitude. Se você se preparar, as chances de todos ficarem felizes aumentam muito.

Como será nossa noite de Natal

Os trigêmeos e da Mônica acordam às 7h30, almoçam às 11h30 e fazem soneca das 12h às 14h. Depois de falar com a consultora Ana, decidimos colocá-los dormir mais tarde: às 15h. Deixaremos dormirem até a hora que quiserem. A festa será no salão de festas do nosso prédio. Durante a festa, teremos a companhia de nossa babá. Após a chegada do Papai Noel (cerca de 22h), ela os levará para casa para dormirem.

Esperamos que tudo saia como o planejado. Mas, seguiremos os conselhos dela: criaremos expectativas reais e teremos um plano B, que será um colchão em um local reservado da festa.

E aí? Como será o seu Natal?

Leia o post: É possível ter rotina com trigêmeos?

3 comentários

  1. Nathalia

    Oi michele..gostei muito do post, pena que não tem dicas para bebês mais novos..a manu tem 5 meses apenas..nao sei se posso usar as mesmas dicas..bjs

    1. Michele Kaiser

      Falei com a Ana e complementamos o post! Dá uma lida agora, Nathalia! Beijos!

Deixe seu comentário