A gente tem que passar tempo com os filhos

Recentemente, uma amiga que trabalhava demais decidiu largar tudo para passar mais tempo com os filhos. Organizou-se financeiramente, mudou-se da capital para o interior e refez a vida. Aquilo me fez pensar o quanto é importante a gente passar tempo com os filhos. E o quanto achamos que estamos dando de atenção a eles quando, na verdade, estamos distraídos com outras coisas (principalmente reclamando).

Eu trabalho fora. Dou aulas de inglês e me dedico ao blog e às redes sociais. Sou autônoma e tento fazer meus horários para que consiga passar mais tempo com os filhos. Porém, muitas vezes eu estou em casa com eles mas estou cozinhando, varrendo, arrumando. Em vez de estar mesmo com eles, estou lendo mensagens em meu celular, pensando em pautas para o blog ou planejando alguma aula. Acabo gastando meu tempo com eles fazendo outras coisas também e pouco dedicando realmente a eles.

Minha amiga me disse que, desde que parou de trabalhar e passou a ficar tempo com os filhos, se sente mais em sintonia com eles. Entendo isso perfeitamente. É mais difícil criar vínculo com os filhos quando não passamos tempo com eles. Ter uma babá para ajudar a cuidar é muitas vezes necessário. Mas vejo famílias com múltiplos com mais de uma babá por turno, babás a noite, no fim de semana… É um luxo que poucas mães podem pagar. Porém, fazendo isso, existe esse outro “custo”, que é a falta de sintonia com a criança por não passar tempo com ela.

Tempo com os filhos

Às vezes a gente reclama que está cansada e torce para os filhos crescerem logo e pararem de dar tanto trabalho, não é? Mas depois que crescem, a gente sente saudades do tempo que estamos vivendo agora. No último sábado, uma tia minha disse que essa fase que eu e meu marido estamos vivendo é a melhor. Me contou que quando tinha o filho pequeno, trabalhava até às 20h, chegava em casa cansada e tinha marido e filho para cuidar. Vivia estressada. Mas aí o tempo passou, o filho cresceu, ela se aposentou e o filho saiu de casa. Passou a ter todo o sossego que sempre quis. Descobriu-se arrependida de não ter aproveitado aquele tempo feliz de quando seu filho era pequeno e ela era jovem.

Depois de ouvi-la, parei para pensar e enchi meus olhos d’água. Meu marido e eu descemos do apartamento para brincar com nossos filhos no pátio. Deixei o celular em casa. Não levei a câmera. Convidei-os para brincar de pega-pega. Corremos sem parar, rimos muito. Passeamos de mãos dadas, conversamos, comemos sacolé. Senti uma grande sintonia com eles. Foi uma das únicas vezes que dei atenção integral a eles sem nada externo me desviando. Dediquei meu tempo a eles. Passei tempo com os filhos.

Quando foi que você passou tempo com os filhos?

tempo com os filhos

5 comentários

  1. Olá bom dia, que assunto interessante e super ajuda as mamães que trabalham bastante. Nós da Heitor Fashion Brazil pensamos em deixar as mamães mais estilosas para um passeio em família e por isso criamos a nova linda de roupas tal mãe tal filho. Venha conhecer o nosso site http://www.hfbrazil.com.br

  2. Fernanda

    Oi Michele!
    Acho muito relevante esse tipo de reflexao, mas penso que o excesso dos dois extremos é mais maléfico para os filhos do que benefico. Nao estou julgando, pois sei que há muitas outras coisas envolvidas numa decisão assim, mas nao acho que dedicar 100% do tempo aos filhos (tipo, sair do emprego APENAS por causa dos filhos) seja bom para os filhos de fato. É um alento para a mãe, sim, mas será que é assim tão bom para a formação do filho? Será que se o filho tiver o exemplo de uma mãe que náo vive apenas em funçao dele, nao o tornaria mais independente (afinal, filhos sao criados para o mundo!). Claro que estou dizendo sobre um caso de ESCOLHA e nao por falta de opçao. No outro extremo, das maes e pais ausentes, eh bem consenso o maleficio… mas penso que o extremo oposto tambem. E minha conclusao veio por perceber entre meus primos e amigos, hoje adultos, o quanto que aqueles que tinham maes que trabalhavam, estudavam e nao estavam 100% do tempo em funcao da maternidade, hoje se deram “bem” na vida, sabe? Sao adultos que tomaram as redeas da vida, correram atras das oportunidades. Enfim, observaçao empirica, sem nenhum rigor estatistico. Mas que me faz pensar.

    1. Michele Kaiser

      Fernanda, acho que você não entendeu o propósito do texto. Eu trabalho fora e, mais de uma vez, já disse aqui no blog que considero meu trabalho muito importante para ‘sair da bolha’. Isso quer dizer que acho importante que as mães tenham outras atividades (trabalhando ou não) além da maternidade para manter a mente sã e até estarem mais dispostas e cuidarem melhor de seus filhos. Com o texto, meu objetivo era falar sobre a quantidade de tempo que não estamos dando a eles. Citei o caso das pessoas que têm diversas babás (até no fim de semana) para dizer que considero importante passarmos tempo com nossos filhos, até nas horas ‘chatas’. Quem tem babá o tempo todo acaba não dando banho no filho, não dando a comida, etc. Acaba não passando pelas atividades do dia-a-dia com eles, o que, a meu ver, ajuda a construir o vínculo mãe-filho. Não acho que as mulheres devam parar de trabalhar. Muito pelo contrário. Acho saudável que trabalhem, façam academia e tenham outras atividades. Porém, quando estamos com nossos filhos em casa, às vezes ficamos ao celular ou lendo o jornal ou assistindo TV e pensamos que estamos passando tempo com eles, quando, na verdade, não estamos. Espero que agora eu tenha me expressado melhor. beijos.

  3. Quantidade é tão importante quanto qualidade , no que diz respeito ao tempo passado com os pequenos. Parabéns!

    1. Michele Kaiser

      Com certeza! Você tem toda a razão! Beijos.

Deixe seu comentário