Desfralde dos trigêmeos

Depois de muito pensar nas possibilidades e tomar coragem (é, temos que ter coragem), resolvi desfraldar os meninos! O desfralde era a fase que eu tinha mais medo, ansiedade e impaciência. Já havia tido uma experiência ruim com a Mônica, por isso eu postergava tudo que podia com os trigêmeos.

Quando os meninos tinham 2 anos, iniciei os primeiros pensamentos sobre o desfralde. Mas eles não me pareciam prontos para isso. Ainda não se comunicavam muito bem, não tinham horário fixo para fazer cocô, não demonstravam incomodação com a fralda. Além disso, não demonstravam nenhum interesse pelo vaso sanitário ou penico e também não davam a mínima bola quando a gente mostrava como fazíamos. Resumindo, não davam qualquer sinal de estarem prontos para o desfralde.

Dicas para reconhecer se seu bebê já pode desfraldar

Há até hoje uma recomendação antiga que devemos desfraldar as crianças aos 2 anos. Vejo diversos pais e mães sofrendo porque ensinam, ensinam e o filho não entende. Durante o processo do desfralde dos meus, diversos foram os relatos que li nas redes sociais sobre crianças que demoraram meses até desfraldar por completo. Foi esse o erro que cometi com a Mônica, não esperei o tempo dela por pura ignorância. Não queria repetir isso com os meninos.

O desfralde da Mônica

Com a Mônica, eu creio que agi errado e sinto culpa por isso. Ela tinha 2 anos e 2 meses quando os meninos nasceram e, seguindo a opinião de terceiros, iniciei o desfralde dela apenas 3 meses depois. Era verão, ela ‘já estava grande para usar fraldas’, e eu resolvi começar. Mônica é muito esperta e inteligente e achei que ela aprenderia muito rápido. Mas não tinha nada a ver com inteligência. Expliquei a ela como deveria fazer, comprei uma cartolina e adesivos e, a cada xixi ou cocô no vaso, ela podia colar um adesivo (ela amava adesivos).

Eu nunca senti tanto ódio de cartolinas e adesivos. Minha menina escapava xixi todas as vezes. Demorou umas duas semanas para ela fazer o primeiro xixi no lugar certo e o cocô demorou séculos. Ela sempre deixava escapar na calcinha. A gente lavava no mínimo 10 calcinhas por dia. Demorou uns três meses para ela segurar, avisar que queria xixi, ir ao banheiro e fazer no lugar. Ela chorava com frequência e, chegou uma época que eu já não tinha mais paciência. Achava que ela tinha algum problema.

Minha filha teve infecção urinária três vezes no ano passado (já foram seis vezes desde que desfraldou). Ela acostumou a segurar demais o xixi e sempre me questiono se isso tem a ver com seu desfralde traumático.

O desfralde de sucesso dos meninos

desfralde dos trigêmeos

Marcelo sentadinho no vaso e os manos observando.

Com todo o arrependimento de não ter respeitado o tempo da Mônica, pensei melhor e quando os meninos tinham 2 anos eu escrevi o post “Sim, meu filho ainda usa fralda“. Eu ouvia de pessoas próximas que estava na hora de tirar as fraldas, mas devido aos motivos citado acima, bati o pé e resolvi não desfraldar. Desta vez eu ia respeitar os meus filhos e deixar eles me darem sinais.

Meu marido e eu optamos por desfraldá-los no verão, depois de completarem 3 anos. Íamos viajar para um sítio no interior com nossa família e estaríamos com as crianças o tempo todo. Eu não queria passar essa função para a babá deles ou para as professoras da escola. Então, iniciamos nas férias no dia 27 de dezembro de 2016.

Ensinamos que eles deveriam usar cuecas, e se tivessem vontade de fazer xixi ou cocô, tinham que chamar a mamãe ou o papai. O resultado foi: zero xixis no vaso. Tentamos no vaso com adaptador e no penico. Nada. Fizeram todos os xixis nas calças. Cocô? Dois não fizeram e um só fez porque pegamos no flagra e levamos correndo para o banheiro. O segundo dia também foi de insucesso. Levamos ao banheiro a cada meia hora, mas nada de xixi ou cocô no vaso. Quando colocamos a fraldinha para o sono da tarde, eles aproveitaram para fazer tudo que queriam. O lado bom foi que pegamos eles conversando dentro do banheiro sobre o assunto. Um estava explicando para o outro que tinha que fazer cocô e xixi no vaso. 

O terceiro dia foi igual. Tentamos colocar uma madeira como degrau para eles fazerem de pé, mirando o vaso sanitário. Não estava funcionando usar adaptador, penico ou qualquer coisa para fazerem sentados. Tínhamos a esperança de que, se um fizesse, os outros passariam a imitar e tudo daria certo. O papai mostrou como fazia e mesmo assim eles não tiveram interesse.

Somente a partir do 4° dia, houve alguma evolução. Quando acordaram da soneca da tarde, Marcelo aceitou fazer xixi no vaso, de pé, em cima de um pedaço de madeira que serviu como degrau. Murilo ouviu eu comemorando e disse que também queria fazer no vaso. Coloquei e ele fez sentadinho!! Fiquei emocionada!! Três horas depois, quando levei de novo, ele fez de novo! Matheus ainda estava relutante.

Os dias que se seguiram foram de sucesso para Marcelo e Murilo, que deixaram escapar as necessidades nas fraldas apenas cerca de 1 vez ao dia. Matheus demorou mais uns dois dias e já estava aceitando fazer quando convidávamos e pedindo quando queria. Posso dizer que, em uma semana, meus filhos estavam desfraldados! Foi algo impressionante porque, nos primeiros três dias, quase desisti. Pensei estar os fazendo sofrer e que não estavam prontos.

Veja o vídeo onde contei tudo sobre o desfralde:

Na minha opinião, é muito importante, ao tentarmos iniciar o desfralde, dar esse prazo de uma semana. Se a criança não mostra evolução em uma semana, não está pronta. Eu deveria ter parado depois de uma semana com a Mônica. Poderia ter recomeçado cerca de seis meses depois e não teria sido tão sofrido como foi.

Aprendi com minha experiência com os meninos que o desfralde não precisa ser traumático! Ele deve ser uma coisa natural para os pais e para a criança. Se está sendo sofrido, provavelmente não está na hora certa e devemos esperar um pouco mais. Não há problema algum em esperar. Não devemos fazer o desfralde por pressão da família ou da escolinha. Temos que respeitar nossos filhos.

Até mais!

4 comentários

  1. Júlia Souza

    Olá, Michele!! Adoro seu blog, leio sempre que posso. Minha filha tem 2 anos e 4 meses e me surpreendeu muito essa semana, pois aceitou muito bem o desfralde. Não precisei forçá-la, porém, a levava comigo ao banheiro. Agora ela diz que é moçinha e que não precisa mais de fralda porquê é só para bebês kkkkkk
    Um beijão na sua família linda!

    1. Michele Kaiser

      Que legal, Júlia! Viu, ela estava pronta!! Beijos e obrigada por nos acompanhar!

  2. Nossa! Concordo totalmente que é a criança que deve dizer quando é o momento do desfralde. Sem dúvidas, se ela der sinais, o processo será bem mais tranquilo.
    Por aqui também foi tranquilo, graças a Deus. Aqui eu conto nossa experiência: http://somelhora.com.br/index.php/2016/04/19/desfralde-diurno-experiencia/

Deixe seu comentário