Oitavo dia de aula dos trigêmeos

Hoje foi o oitavo dia de aula dos trigêmeos na escola e em turmas separadas. As coisas estão se encaminhando bem e está dando tudo certo! Por isso, este vai ser o último dos relatos diários do início das aulas dos meninos.

Nesta manhã, os meninos acordaram cedo demais, mais uma vez: cerca de 6 horas. Por isso, já avisei a babá, quando chegou, para se organizar para colocar eles dormirem em torno de 9 horas. Eles não dormiram muito bem a noite por causa do resfriadinho que contei no sétimo dia de aula que pegaram na escola. Por isso, pedi a ela que insistisse a eles que dormissem.

Foi o terceiro dia seguido que ela conseguiu fazê-los dormir cerca de 9h às 11h. Assim, eles têm acordado mais felizes e dispostos a ir à aula. Hoje de manhã, chegaram a choramingar em volta de mim pedindo por favor para irem logo para o colégio! São uns sapequinhas mesmo!

Enquanto eles almoçavam, arrumei as mochilas e lancheiras. Já comentei como demora e a trabalheira que me dá? Hehehehe. Depois, levamos fazer xixi, escovamos os dentes da galerinha e fomos para a escola. Chegando lá, repetimos nossas ações dos últimos dias: pedimos para a mana Mônica guiá-los em direção às salas. Ela tem sido uma maravilhosa ajudante nessa tarefa.

Assim como nos outros dias, eu cheguei com um em cada mão pelo corredor da porta onde temos que largá-los e, simplesmente, dei a mão de um ao outro e nem deixei pararem de caminhar. Maurício fez o mesmo e, quando se deram conta, já estavam dentro do pátio da educação infantil. Quando olharam para trás, nos viram de longe e eu só abanei, com um sorrisão no rosto, e mandei beijinhos. Funcionou, continuaram caminhando.

O que está dando certo

Algumas coisas que fizemos nos primeiros dias funcionaram bem, mas depois começaram a dar errado. Por exemplo: nos dois primeiros dias eles estavam curiosos e empolgados, então nos davam abraços e beijinhos na porta do pátio e iam com as monitoras. A partir do terceiro dia, esse momento de carinho transformou-se em uma oportunidade para fazer manha para a mamãe e o papai, então resolvemos aboli-lo. Essas são as três coisas que fizeram tudo dar certo:

  • Criar a expectativa neles de que vão para a escola e que a escola é muuuuito legal (falar em casa e durante o trajeto até a escola sobre os colegas, a profe, o lanche, os brinquedos, as atividades…);
  • Chegar calmamente e deixar a mana guiá-los, sem pausa para as despedidas dos pais;
  • Deixá-los fazer uma soneca de pelo menos 1 hora e meia no meio da manhã.

Na hora da saída

Hoje foi ainda mais tranquilo do que ontem. A professora do Marcelo disse que ele brincou bastante com os colegas e que não chorou. E de fato ele nos contou em casa que montou um castelo bem alto com um coleguinha e nos disse o nome do colega. Hoje foi o professor de teatro que me entregou o Murilo (a turma dele tem essa aula especializada no último período). Ele disse que achou ele bastante enturmado e que participou bem contente das atividades. A profe do Matheus contou que ele inventou muitas histórias sobre a Peppa e o George enquanto brincava de massinha de modelar com uma coleguinha.

Busquei eles sozinha no fim da aula novamente e preciso dizer que isso me deixa exausta! Busquei Mônica primeiro e depois fomos aos poucos pegando os manos em suas salas. Cada um com sua mochila de arrasto e aquela multidão de pais se aglomerando nas portas das salas. Depois de pegar cada um e conversar com cada professora, ainda preciso ficar na escola cerca de 40 minutos para que eles brinquem nos brinquedos do pátio. É uma gritaria de crianças felizes correndo e brincando, mas fico quase surda! Quando consigo convencer a irem embora, ainda tenho que levá-los até o estacionamento e colocar cada um em sua cadeirinha no carro. Dá uma canseira danada fazer tudo isso sozinha!

oitavo dia de aula

Cansados na volta da escola.

Bom, como as coisas estão se adaptando bem e eu já não tenho mais tantas novidades a cada dia, resolvi encerrar essa série de relatos hoje. Consegui uma consulta com a pediatra das crianças para o fim da manhã de amanhã (lembram que eu disse que estão resfriados?). Então acredito que nem vai dar tempo de irem à escola nessa quinta. Mais um motivo para encerrar os relatos.

Obrigada por ter nos acompanhado durante esse período! A adaptação deles teve altos e baixos, mas tudo está se encaminhando. Vou contando mais conforme os dias vão passando. Lembro que, quando foi a vez da Mônica iniciar a escola, dois anos atrás, ela não teve nenhum problema, mas começou a não querer ir mais depois de cerca de dois meses. Espero que isso não aconteça com os meninos!

Até mais!!

1 comentário

  1. Helen

    Que bom que as coisas estão indo bem. Sou apaixonada pela Mônica♥

Deixe seu comentário