Os quadrigêmeos da Ana Carolina

Nem o médico ecografista acreditou que a Ana Carolina Barbosa Lima, 37 anos, e seu marido Jeronimo Harbs de Moraes Vieira, 36, não tinham feito tratamento de fertilização para conceber seus quadrigêmeos. Ela queria engravidar e parou com o anticoncepcional. Como tomava há muito tempo, provavelmente teve uma hiperovulação. Resultado: quatro óvulos no mesmo ciclo e quatro bebês de uma vez! Vem ler essa história!

quadrigêmeos

“Minha gravidez foi mais ou menos planejada. Estar grávida era um plano, mas tivemos duas surpresas quando ficamos grávidos: a primeira foi a rapidez e facilidade com que engravidei. Havia parado a pílula dia 5 de fevereiro de 2009, e no dia 27 de março eu estava grávida de 5 semanas de QUADRIGÊMEOS! O segundo e maior susto de todos!

Não fizemos tratamento de fertilização. O que os médicos dizem é que pode ter ocorrido uma superovulação causada pelo uso de pílula anticoncepcional por muito tempo. Então, assim que parei de tomar, ainda antes de ter o primeiro ciclo eu provavelmente liberei muitos óvulos e engravidei imediatamente.

A descoberta da gestação múltipla não foi legal! Não imaginava que teria uma gravidez múltipla, muito menos de 4! O médico que estava fazendo o ultrassom não acreditava que eu não havia feito tratamento. Durante o exame, ele me fez essa pergunta e insistiu muito. Então fui ficando sem paciência e respondi mais ríspida. Ele então jogou a bomba, sem nenhum rodeio: ‘É, são 4 filhos: 1, 2, 3, 4’. Quase morri ali mesmo (risos)!!! Chorei muito, tive medo, dúvidas, raiva demais! Questionava porque Deus havia feito isso comigo, repeti mil vezes que minha vida tinha acabado…

A gravidez quadrigemelar

Passei muuuuuuito mal durante a gravidez. Tinha ânsia de vômito e enjoos o dia e a noite INTEIRA, vomitava com absolutamente TUDO que comia e o que não comia também. Enjoei de quase todas as comidas. Não comia feijão, carne, frango, peixe, nenhum derivado de leite, manjericão, cogumelos e palmito. Cheguei a ficar dois dias sem conseguir segurar nada no estômago. Acabei desmaiando e tive que ir para o hospital. Lá, me deram remédios na veia e controlaram os enjoos praticamente me dopando com diversos medicamentos.

Com 13 semanas, passei por um procedimento de cerclagem, para conseguir segurar melhor os bebês. Fiquei a gestação inteira de repouso. Me mudei para a casa da minha mãe nessa época. Aluguei uma cama de hospital e fiquei por lá. Só saía para fazer os ultrassons, a cada 15 dias, que era quando eu aproveitava para dar uma passeada.

quadrigêmeos

Sophia, João Pedro, Laura e Beatriz nasceram com 33 semanas e 3 dias de gestação. O parto foi marcado porque já estava sem espaço na barriga! A Beatriz estava sentada e o cordão estava começando a ficar pressionado, diminuindo o fluxo sanguíneo.

Nascimento dos quadrigêmeos

Eles nasceram no dia 28 de setembro de 2009. A Sophia com 1,260 kg e 38,5cm; João Pedro com 1,505 kg e 39cm; Laura com 1,340 kg e 38,5cm; e Beatriz com 1,200 kg e 38cm.

Ficaram 36 dias na UTI neonatal, mas não tiveram que passar por nenhum procedimento, foi apenas para engordar mesmo. A UTI é um ambiente muito desgastante, mesmo quando sabemos que o nosso caso não é grave. Presenciamos muitas lutas e muitas perdas, nos envolvemos com o caso de todas as famílias. Foi tranquilo o fato deles estarem lá, pois fui preparada para isso a gravidez inteira, não foi uma surpresa para mim. Porém, foi extremamente cansativa a rotina diária de estar lá, amamentar, banco de leite, trocas de roupas… O hospital ficava a exatos 25km da minha casa. Uma viagem longa, principalmente por causa do trânsito. Isso ainda cansava um pouco mais.

Quando viemos para casa, eu tinha duas babás, que moravam comigo, para me ajudar em toda a logística, principalmente quando voltei a trabalhar. Mas quando as crianças estavam com 2 anos e 3 meses, decidimos nos mudar para o interior, para São João da Boa Vista. Fomos em busca de qualidade de vida e custos mais baixos. Mas para que a condição financeira valesse a pena, fico durante a semana com eles aqui e meu marido fica em São Paulo trabalhando. Ele só vem aos finais de semana.

Então, quando me mudei, por um tempo uma das babás veio comigo, mas não se adaptou e foi embora. Eles tinham 3 anos e meio quando ela foi embora. Dessa idade até os 6 anos e 3 meses, fiquei SOZINHA!! Sem babá e sem marido, só com uma auxiliar para a casa. Com 6 anos e 3 meses, essa mesma babá voltou a morar com a gente. Isso me ajuda muito, pois como meu marido mora fora, estava sempre sem ninguém em casa, caso precisasse de um socorro durante a noite.

quadrigêmeos

Curiosidades

Algumas curiosidades sobre a vida com quadrigêmeos:

  • Descobri a gravidez quadrigemelar no dia 1° de abril, dia da mentira. Chorei compulsivamente, mas ainda assim minha mãe não acreditava! Só acreditou depois que mostrei o ultrassom. Naquele dia, quando cheguei ao trabalho e contei, todos pararam e ficaram mudos. Também lembraram que era 1° de abril e ninguém acreditou! Novamente, precisei mostrar o exame!!
  • Quando nasceram, tive que comprar um furgão de 12 lugares para acomodar toda a família. Eram 4 cadeirinhas, 2 babás e o casal. O último lance do bancos nós fechávamos para usar como porta-malas. Quando íamos para a praia, tínhamos que descer pela Avenida Anchieta (destinada a caminhões, vans e utilitários). Para dirigir, precisava de carteira de motorista da categoria D.
  • Nos primeiros meses, usávamos 1.200 fraldas por mês, 32 mamadeiras (e peito). Amamentei até os 5 meses, quando decidi parar, pois ia voltar a trabalhar”.

quadrigêmeos

Que história incrível da Ana Carolina e do Jeronimo!! Você pode acompanhar a Ana Carolina no instagram no perfil Meu Quarteto. Ela também tem um blog onde conta sua história.

Você também tem múltiplos e gostaria de contar sua história aqui? Escreve para contato@ostrigemeosdamichele.com.br e eu te digo o que fazer. Até mais!

2 comentários

  1. Thaís Nicolini

    Senhor!!!!

  2. kathiane

    Olá. Sou mãe de trigêmeos. Gostaria de informar ter agir com todas as mamães.

Deixe seu comentário