Fim de semana com papai

Há alguns meses ficamos sabendo que a Michele deveria estar no Rio de Janeiro no dia 25 de março, para o lançamento do grupo de blogueiras de maternidade Liga Materna, do qual está participando. Desde então decidimos que eu cuidaria das crianças e eles passariam o fim de semana com papai.

Mas surgiu a dúvida e a preocupação por parte dela: Quem vai te ajudar? Vai conseguir dar conta? Sem nenhuma dúvida afirmei desde aquela época: “eu fico com as crianças, não te preocupa. E não preciso de ninguém para me ajudar.”

Eu entendo a preocupação dela, afinal são quatro crianças pequenas, não uma ou duas. Inclusive alguns outros parentes mostraram-se receosos de “como eu iria me virar”. Agradeci a preocupação, mas eu realmente não tinha motivos para ter dúvidas de que tudo daria certo.

Em 90% das vezes na rotina normal, sou eu que dou banho, os visto e coloco dormir. Em cerca de 50% das vezes sou eu que dou as refeições, sucos e lanches. As crianças respeitam uma rotina imposta desde que são bebês. Eles têm hora pra acordar, hora pra comer, hora pra brincar, hora pra tomar banho, hora pra dormir. Somente com rotina e regulamentos bem estabelecidos a casa funciona bem. Então, quando estivessem somente comigo, sem a mãe, esses regulamentos continuariam sendo respeitados. E foram. E, vamos falar a verdade, criança adora fazer manha para a mãe e para os avós, né?

Comigo, nenhuma manha e nenhuma necessidade de bronca. Eu os avisava com antecedência de uns 10 minutos o que iriam ter que fazer na sequência, falava isso individualmente para cada um e perguntava: combinado? Eles respondiam: combinado. E vocês sabem, combinado é combinado! Daí tudo fica bem.

A Michele saiu na sexta-feira a tarde, durante o período que eles estavam na escola. Ela preferiu porque ficou com medo de eles chorarem muito se vissem ela sair. Então, desde o momento em que os busquei na escola na sexta-feira até irem dormir no domingo, brincamos o tempo todo e seguimos sem problemas todos os regulamentos como bons amigos.

Como fiquei em tempo integral fazendo todas as atividades e brincando, acabei podendo perceber com mais profundidade ainda as características individuais deles. Os marcos de desenvolvimento onde se encontram, a forma como cada um lida com problemas e pude estreitar ainda mais o laço de amizade entre nós. No fim, o que gerou preocupação das pessoas por se desenhar como um final de semana de muito trabalho em casa, pra mim acabaram sendo três dias de muita brincadeira e amor, onde pude me aproximar ainda mais dos meus filhos.

fim de semana com papai

Sábado a noite, prontos para dormirem. Murilo, Marcelo, Matheus e Mônica.

fim de semana com papai

Matheus, Murilo e Marcelo. Mônica estava correndo e brincando com os vizinhos.

fim de semana com papai

Murilo, Marcelo e Matheus se divertindo no pátio.

fim de semana com papai

Mônica e os maninhos.

Até mais!

2 comentários

  1. Renata

    Parabéns Mauricio, isso mostra que pai tb pode exercer as mesmas funções que nos mamães , acredito que muitas das vezes nos que impedimos isso de acontecer, ou por medo de o tal pai não dar conta ou mesmo por comodismo de achar que é dever da mãe certas funções.Digo isso pois tenho 3 filhos (gemeos de 1 ano e uma princesa de5) e nunca deixo meu marido fazer as coisas sozinho, pois acho que ele não vai dar conta…rs Mas agora vou me arriscar a deixa-lo exercer essa função tão maravilhosa que é a paternidade !!!!Parabéns pra vc e pra essa familia linda !!!

    1. Michele Kaiser

      Arrisque mesmo, Renata. Vale a pena tentar. Pode se surpreender. Maurício sempre cuidou deles e eu não tinha nenhuma dúvida que ele daria conta do recado. Um beijo!

Deixe seu comentário