Sonecas: até quando se preocupar?

Por Ana Schoriza… As sonecas são sempre uma preocupação para as mães. Ouço relatos de mães de bebês que relutam com o sono desde os primeiros meses de vida. Muitas reclamam que os seus bebês não fazem sonecas de mais de 40 minutos (o que equivale a apenas um ciclo de sono), e dependem de um trabalho duro para prolongarem as sonecas para ver se conseguem ao menos ter um tempinho para elas mesmas. Então… Sonecas: até quando?

Explico que o sono das crianças é polifásico, isto é, precisam de sono noturno e de sono diurno. Aliás, o sono diurno, além de ser um calmante natural para nossas ferinhas, ajuda muito na organização da memória. Isto porque este soninho do dia está repleto de sono REM (leve). Mas quando será o momento ideal de a criança transitar para o mundo do sono dos adultos, dispensando-se a soneca da tarde?

Infelizmente muitas crianças, quando passam a frequentar a escola, acabam abandonando as sonecas precocemente. Sim, existem escolas que não respeitam estas necessidades da criança, por desconhecimento ou porque são ávidos por conteúdo. No entanto, também, já ouvi de pais a seguinte frase: “eu não vou pagar escola para meu filho ficar dormindo”, o que eu acho muito triste. Tudo é uma questão de organização da rotina da família.

Sonecas: até quando devem fazer?

sonecas: até quando?Assim como a alimentação e a hidratação, o sono é uma necessidade fisiológica. Mas vejo que é relegado a segundo plano por algumas famílias. O que mais vejo são crianças que dormem muito tarde e acordam muito cedo, passando o dia todo irritadas e sonolentas. Criança que não dorme não aproveita o dia em relação ao aprendizado. E pode ter problemas de crescimento, obesidade e diabetes (tema para ser melhor elucidado em outro post).

Na minha experiência com minha filha de quatro anos, comecei a não insistir mais nas sonecas este ano mesmo. Percebi que ela estava aguentando o dia muito bem, sem choro ou ataques de fúria. E passou até a iniciar o sono noturno sem tantos entraves. E relaxei. Já os trigêmeos (hoje com 2 anos), passaram de duas sonecas para uma soneca após o almoço com um 1 ano e 8 meses mais ou menos. E desta não relaxo, em respeito a eles e a mim mesma. Afinal, tenho que tomar banho (risos).

No entanto, os especialistas(*) afirmam que entre 3 e 6 anos os cochilos diminuem, cessando para a maioria aos 5 anos. Isso em razão da aproximação das características do sono do adulto com o da criança.

Leia também: 8 motivos para seu filho não dormir bem à noite

Quanto tempo de soneca?

De 1 a 2 anos, o costume é que se faça 2 sonecas ao dia (de manhã e a tarde) com cerca de 1 hora de duração. Dos 2 a 3 anos, o ideal é que durmam uma vez ao dia, preferencialmente após o almoço, durante cerca 1h30 a 2 horas.

Mas acredito que o ponto chave para saber se seu filho não precisa mais de soneca é conseguir passar o dia feliz, sem as famosas birras de sono. Cada mãe reconhece o comportamento do seu filho com relação a isso. Respeitando também a idade, claro. Cada experiência é única com cada criança. E vocês? Como lidam com as sonecas dos seus filhos?

*SANDER, Heidi Haueisen. Aula sobre “Sono: da infância à velhice”. Curso de medicina do sono da USP.

———————————————————————-

Ana Paula Schoriza é consultora de rotinas familiares, do sono materno-infantil e de aleitamento materno, massagista materno-infantil e doula. Ainda tenta conciliar seu trabalho com a maternidade de trigêmeos, de um ano, e mais uma menina, de quatro anos de idade. No trabalho que desenvolve de consultoria materno-infantil, procura lançar mão de ferramentas do autoconhecimento, da massagem e da hipnose, quando necessário, para que as transformações propostas sejam feitas com mais leveza e tranquilidade. Aqui no blog, escreve sobre a rotina e rotina do sono e dá dicas para as mães.

Deixe seu comentário