Reeducação alimentar: como emagreci

Em outubro de 2015, eu estava no auge da baixa auto-estima. Dois anos antes, meus trigêmeos haviam nascido e, àquela altura, eu percebi que não dava mais para ‘culpar’ a gravidez múltipla pelo excesso de peso. Eu havia ido dos 65 quilos pré-gestacionais para 92 quilos no dia do parto. Dois anos depois, estava pesando 78 quilos e me sentindo muito mal. Com o apoio da nutricionista e coach Natalia Stedile, comecei a reeducação alimentar.

Só que eu não estava muito confiante. A Natalia era a 5ª ou 6ª nutricionista que eu estava consultando na vida e isso não me motivava muito. Havia passado por profissionais que faziam restrições alimentares bem severas. Eu fazia a dieta por cerca de 4 ou 5 meses e depois “me soltava”. Enfiava o pé na jaca e comia novamente por compulsão. Sentia culpa o tempo todo e essa culpa fazia eu viver estressada com minha alimentação. Claro que engordava tudo de novo.

reeducação alimentar

Mas a Natalia me fez mudar todo o meu pensamento com relação à comida e à minha alimentação. Me mostrou que a comida não era minha inimiga e eu, seguindo suas dicas e conselhos para uma reeducação alimentar, fui eliminando peso muito naturalmente, sem contar calorias ou pesar alimentos. As dicas que a Natália me deu mudaram a minha forma de me comportar no meu dia a dia, nos eventos sociais e nos fins de semana. Eu nunca fiz dieta com ela, eu fui orientada a respeitar minhas vontades e ter uma alimentação real, que se enquadrasse na correria da minha rotina.

reeducação alimentar

Reeducação alimentar: abandonei a compulsão 

Com a reeducação alimentar, abandonei a culpa e a compulsão. Parei de comer porque estava com raiva ou porque tinha algum problema. Ela me mostrou um mundo que nenhuma nutricionista tinha me mostrado: que é possível a gente comer o que gosta e ser feliz. Passei a planejar minha alimentação numa boa, fazendo coisas possíveis e usando produtos mais naturais, mas sem gastar muito dinheiro ou comprar coisas muito estranhas e sem gosto.

reeducação alimentarPassei a utilizar as dicas dela com todos na minha casa e passei a melhorar a alimentação dos meus filhos, que ainda estão na fase da educação alimentar. Passei a fazer receitinhas deliciosas com ingredientes mais naturais e a aprovação deles foi imediata! Hoje, todo mundo tem uma alimentação bem mais saudável na minha casa! E isto tudo sem maluquices. Eu deixo eles comerem chocolates e biscoitos moderadamente. 

Por causa disto tudo, achei que poderia levar os ensinamentos da Natalia para mais pessoas. Resolvi convidá-la para, juntas, espalharmos o trabalho dela para as famílias. Natalia já atendia mulheres, homens e crianças, mas resolvemos montar um ebook com todas as dicas que ela me dava para orientar mães e pais a oferecerem uma alimentação mais saudável para os filhos e para eles mesmos, sem precisar utilizar ingredientes difíceis ou abdicar de coisas que gostam. Porque isso é reeducação alimentar! O resultado ficou incrível e a aceitação do nosso ebook é ótima! Ele conta com dicas de cardápios para todas as idades, dicas de conservação de alimentos e mais de 180 receitas doces e salgadas. Tudo isso com foco no planejamento. A gente come de tudo e é feliz!

O feedback que temos recebido das famílias tem sido muito positivo. Hoje, em agosto de 2017, estou feliz de volta ao peso pré-gestacional e me sentindo mais saudável e disposta do que antes da gravidez. E a gente que é mãe sabe o quanto isto é importante para nossa saúde. Não apenas física, mas também emocional. 

Hoje eu indico a Natalia e os ensinamentos dela para todos que me perguntam como eu emagreci 12 quilos. Não foi um processo rápido. Iniciei em março de 2016 e atingi meu objetivo de voltar ao peso antes da gravidez dos trigêmeos somente em junho de 2017. Mas o processo não foi difícil, não me deixou estressada. Na verdade, me abriu os olhos para uma verdadeira mudança. E tenho certeza que esta será para sempre. Até mais!

Para conhecer este produto que desenvolvemos juntas, você pode clicar neste link: livrocomidadeverdadekids.com

Clique aqui e conheça nosso ebook #comidadeverdade!

8 comentários

  1. FERNANDA DAS NEVES SILVA LUCENA

    Opaaaaaa
    vou conferir, quando Arthur nasceu eu emagreci 20 kgs mas n consegui manter e engordei tudo de novo…
    Vou precisar realmente me reeducar pq tem sido dificil demais!

    Bjooos

    1. Michele Kaiser

      Você pode também seguir a Natalia no Instagram (instagram.com/nataliastedilenutricoach) para pegar umas dicas. Adquira nosso e-book e veja quantas dicas legais! Um beijo.

  2. Bruna

    Já havia percebido que emagreceu. Tá linda!!! Obrigada por dividir a experiência com todas nós que a acompanhamos. Beijos

    1. Michele Kaiser

      Muito obrigada pela força! Um beijo!

  3. adilson

    obrigado pela amostra do ebook do seu livro, receitas deliciosas. 🙂

    1. Michele Kaiser

      Que bom que você gostou!!

  4. Oie! Sou nova leitora do seu blog, achei incrível. Aqui em casa somos o contrário de pessoas saudáveis: Jantamos hambúrguer quando alguém está com vontade, compramos coisas fáceis de fazer pra quando alguém chega cansado demais pra cozinhar e comemos em lanchonetes quando bate a fome na rua. A mãe da casa é muito mais saudável do que nós filhas, sempre nos reeducando quando ultrapassamos o limite e comprando frutas, essas coisas. Ela não nos obriga a parar, entretanto, apenas nos estabelece limites. A comilança está longe de prejudicar nossa saúde: Comemos todo tipo de vegetais, frutas (MUITA banana e maçã) e não nos falta nenhuma vitamina ou nutriente. Também não somos acima do peso (duas de nós são magras e uma.. Bom, não é gorda, mas não é magricela). Pelos artigos vi o quanto sua família é saudável e refleti um pouco.. Precisamos de reeducação alimentar? O jeito que nos alimentamos livremente pode nos prejudicar no futuro? A gente é tão feliz comendo biscoitinhos açucarados e batata frita.. Beijos. Me desculpa se toquei numa relíquia, não olhei a data desse post.

    1. Michele Kaiser

      Oi, Mia!

      Você relatou a vida de uma família feliz e saudável! A nutricionista Natália Stedile e eu defendemos exatamente isso: a comida não é nossa inimiga e nossa vida não precisa ser um inferno alimentar. Eu adoro a Natália por isso. Ela me salvou da compulsão alimentar porque eu estava acostumada a fazer dietas muito restritivas e depois comer aquilo que eu gostava escondido. Sabe?

      Muito família busca uma vida saudável mas não fazemos dietas. A gente tenta fazer o máximo que podemos de comidas naturais e pouco industrializadas em casa. Mas cerca de uma vez por mês as crianças vão à lanchonete (aquela famosa com arcos dourados) e comem chocolate e biscoitos com moderação. A gente só corta totalmente refrigerante.

      Um beijo!

Deixe seu comentário