Gêmeos em turmas separadas

Está chegando o dia do início das aulas dos trigêmeos! Optamos por colocar os trigêmeos em colégio grande. Escolhemos uma escola que oferecesse educação infantil a partir dos 3 anos. Queríamos que a escola oferecesse diversas turmas para que pudéssemos matricular Marcelo, Murilo e Matheus em turmas diferentes. Não queremos que nossos filhos sejam colegas na escola. Eu acho que é melhor gêmeos em turmas separadas.

Bem, por motivo financeiro, optei por eles ficarem em casa com babá até os 3 anos, ao invés de irem para a escolinha. Tenho apenas uma funcionária – a babá – que cuida deles para eu poder trabalhar. Ela dá conta das crianças e da casa e, até ano passado, cuidava de 4 crianças de manhã e de 3 a tarde, já que Mônica ia para a escola. O salário que pago à ela é mais em conta do que ter 4 em escolinha.

Por que separá-los?

Os trigêmeos são amigos e unidos, apesar de terem momentos de briga. O motivo de eu querer separar os meninos é promover a individualidade de cada um. Acho que não vamos nos arrepender de termos tomado essa decisão, mas estaremos atentos a qualquer problema e a escola está nos dando todo o suporte. Já teremos a primeira reunião no sábado que vem e a escola já nos orientou como proceder.

Com frequência me perguntam: você não tem pena de separar os pobrezinhos? Eu respondo: De maneira alguma! Eu só vejo coisas positivas vindo dessa separação. Nos primeiros dias pode ser um pouco difícil, mas creio que será muito melhor para eles a longo prazo pelos motivos a seguir.

Individualidade

Quero que meus filhos saibam que existe um mundo a explorar fora do território da nossa casa. Quero que eles convivam com outras crianças, sem ficarem grudados uns aos outros o tempo todo. Temo que, se os colocasse juntos, eles não iriam abrir espaço a outras crianças e iam continuar com os vícios de comportamento que já têm em casa. Também não quero que sejam conhecidos como “os trigêmeos”. Quero que sejam Marcelo, Murilo e Matheus individualmente.

Professores

A escola que os meninos frequentarão exige uso de uniforme. Imaginei que, se ficassem juntos, os professores e monitores teriam mais dificuldade em reportar a mim questões em geral. Seria muito mais difícil saber quem fez o quê. Afinal, eles são muito parecidos e estariam vestindo roupas iguais. Por exemplo, se um dos meninos estiver com alguma dificuldade comportamental. Um deles jogou um brinquedo em um colega. Qual foi? Será que a professora ia saber diferenciá-los?

Amigos

Eu temia que, se ficassem juntos, acabariam fazendo um time fechado e não se misturariam com os demais colegas. Tinha medo que fosse como é em casa. Os três grudados o tempo todo. Eu quero que eles fiquem separados porque poderão se misturar e conhecer outras crianças, fazendo amigos. Se sentirão falta dos irmãos? Talvez. Mas vão conviver entre eles em casa a manhã inteira. Eles acordam às 7h e irão para a escola só às 13h. Voltarão da escola às 17h30 e ficarão juntos até às 21h, quando irão dormir. Continuarão muito tempo juntos.

Aprendizagem e comportamento

Dentro de casa, muitas vezes o Matheus é mais atento e Marcelo é mais desligado. Mas, dependendo o caso, Marcelo entende melhor as regras. Murilo é mais bagunceiro. Sabe as regras mas gosta de desobedecer e nos olhar com um sorrisinho encantador, buscando aprovação. Baseado nesses comportamentos, eu acredito que, se fossem colegas, Matheus ia prestar atenção na professora e Marcelo ia só copiar o que ele estava fazendo. Murilo ia ficar atirando os materiais nos irmãos. E no fim os três estariam bagunçando a aula (risos).

Desenvolvimento da personalidade

Acho que, separando-os, conheceremos coisas mais individuais da personalidade de cada um. Sozinhos eles são diferentes de como se comportam em grupo. Mas, sejamos sinceros, são poucas as oportunidades que eles têm de ficarem sozinhos. Hoje, são poucas as vezes que conseguimos passar alguns instantes só com um deles e dar atenção individual. Eu acredito que, sem o irmão para se espelhar na sala de aula, vamos acabar descobrindo preferências, gostos e desgostos que ainda não conhecemos da personalidade de cada um.

gêmeos em turmas separadas

Matheus, Marcelo e Murilo.

Separado não quer dizer sozinho

Mônica evoluiu muito na escola. Fez amigos, aprendeu muitas coisas e ‘cresceu’. É isso que eu quero ver da parte deles. Quero vê-los crescendo como indivíduos. Quero vê-los sendo um serzinho único. Cada um com seus colegas, sua professora, sua vida. Assim como a Mônica. Assim como todas as crianças que não tem irmão gêmeo.

Quero que meus filhos tenham uma experiência como a de qualquer outra criança. Quero que eles tenham sua família, o amor de seus pais, o amor e companheirismo de seus irmãos. Mas quero que tenham suas vidas individualmente também. Quero que cada um faça suas próprias descobertas. E isso não é motivo algum para alguém ter pena deles. Continuem acompanhando essa história!! Até mais!

Acompanhe como eles estão se saindo clicando em adaptação escolar!

12 comentários

  1. Achei seu post sensacional. Uma visão bem realista e pé no chão. Minha terapeuta tem gêmeos e também escolheu deixa-los em salas separadas. Foi bom para eles e eu acredito que se fosse eu, faria o mesmo!

    1. Michele Kaiser

      Que bom que você concorda, Gabi! Estou bem tranquila com a minha decisão. Obrigada pelo apoio! Beijos.

  2. Dieni Zanotti

    Tenho gêmeas, hoje com 14 anos. Quando foram pra escolinha, aos 3 anos, tive pena separa Las justamente porque sempre foram muito unidas.
    Acabou acontecendo exatamente o que tu teme. Elas eram um grupo fechado, as professoras tinham dificuldades para avaliar, apesar de eu não vesti Las iguais. Sem contar que a Rafaela era muito mais atenta e a Júlia acabava “indo nas costas”.
    Consegui separa las só na quinta série, foi tranquilo, sem traumas. Levaram um tempo para fazer amigos diferentes e criarem hábitos individuais. Sempre às tratei com individualidade em casa, mas na escola elas eram “as Manas”.
    Hoje, elas tem grupos diferentes, hábitos diferentes, mas ainda assim, raramente se separam.
    Acredito que poderia ter separado mais cedo para acelerar o crescimento individual, mas não me arrependo, acho que foi um tempo de se curtirem… E, vão ter uma vida toda pra seguir caminhos distintos.
    Abraços;
    Dieni Zanotti

    1. Michele Kaiser

      Obrigada por seu depoimento. Que bom que deu certo a separação, eu concordo com você. Um beijo!

  3. Tô ansiosa para saber como vai ser os primeiros dias de aula dos meninos principalmente pela individualidade e personalidade .bjos

    1. Michele Kaiser

      Hehehe. Já leu o post novo sobre isso?

  4. Thaís Camargo

    Sou pedagoga e acredito que nessa fase é extremamente importante separa-los! Talvez quando estiverem mais velhos possam ficar juntos, mas por enquanto a melhor coisa é deixar cada um em uma sala!

    1. Michele Kaiser

      Não tenho dúvidas disso. Um beijo!

  5. Quando li o texto do post, torci o nariz. Mas lendo o texto, concordei completamente com a decisão de vocês!
    Adorei a reflexão Michele! Super válida!

  6. Paula Cristina

    Sou gêmea e sempre estudei na mesma sala com meu irmão. Da pré escola até o colegial. Eu me sentia segura perto dele, mas cada um tinha a sua turminha de amigos. Uma professora quis separar a gente, eu me recordo que chorei muito, pois não queria ficar longe dele. Acredito que temos que perceber o que será melhor para a criança, no nosso caso a separação se tornou algo frustrante, mais para mim do que para ele, talvez por insegurança. Essa foi a minha experiência. Mas no caso dos seus meninos talvez seja melhor, por serem idênticos. Desejo uma boa adaptação e que tudo ocorra bem! Hoje sou professora e tenho gêmeos em salas separadas, e já tive casos de gêmeos na mesma sala…cada criança é única, temos que observar e fazer o que for melhor para eles. Bjs!

    1. Michele Kaiser

      Acho que meninos e meninas acabam procurando amigos diferentes de qualquer maneira. Os meus brigam tanto em casa que eu acho que iam brigar demais na escola. Quero que eles tenham outra percepção de mundo. Quero que saibam que existem outras pessoas além dos irmãos. Que os irmãos não são parte deles. Beijo!

  7. Luana

    Michele,
    Sempre acompanho você pelo face e confesso que torci o nariz quando você decidiu separa-los, lendo o seu relato, fico pensando, pena que na escolinha dos meninos não tem dois Jardim 2.
    Espero, que consiga isso ano que vem, quando eles estiverem na 1º série. Isso vai ser ótimo para eles, pricipalmente para o Miguel, que vive indo na onda do irmão.
    Beijos

Deixe seu comentário