O amor e o tempo

Dizem que quando as pessoas se apaixonam, a paixão e a loucura duram cerca de seis meses. Depois de um ano, cai na rotina. Sobrevive o amor, a amizade, mas o frio na barriga vai diminuindo. Com os filhos o caminho é oposto. Ele vai sendo construído. Cresce a cada dia. E cada vez mais. O amor e o tempo.

Engraçado como o amor que a gente sente pelos filhos é diferente. Diferente de qualquer amor que existe por qualquer outra pessoa. E como esse amor pelas outras pessoas também aumenta quando a gente as vê dando amor para aqueles que são os maiores amores da vida da gente…

Meu amor pela Mônica foi crescendo aos poucos. Não vou mentir, quando ela nasceu, tomei um susto. Quando ela nasceu, senti tantas emoções ao mesmo tempo, foram tantas mudanças na minha vida que me questionei de diversas maneiras. Passei uns 15 dias deprimida, mas soube que isso é normal, químico do organismo. Pelo menos do meu. Dizem que o corpo, no pós-parto, está rebalançando os hormônios e “se acostumando” com a falta do bebê. Infelizmente não fiz parte do grupo de mulheres que sentem amor incondicional à primeira vista. Minha filha, se um dia você ler isso, saiba que durou muito pouco tempo e só ajudou a mamãe a te amar mais ainda.

Meu amor por ela cresceu tanto a cada dia, a cada descoberta dela e minha – como mãe -, que a cada dia me pergunto como ainda posso amá-la mais e mais. Ver o amor do meu marido por ela me faz ser tão feliz… Não só por mim, mas por ela. Que feliz que ela é, com pai e mãe que a amam desse jeito. E como a gente consegue se apaixonar cada dia mais por um homem que divide com a gente esse amor, que dá todo o amor do mundo pra filha que tem.

O crescimento do amor

o amor e o tempoTer trigêmeos é muito diferente de ter um filho de cada vez. Quando planejei minha segunda gravidez, pensava como seria me apaixonar de novo por outro filho, se seria como com a Mônica. Como eu ia amar tanto alguém, como o meu amor iria alcançar o amor que tenho por ela e que só cresce? Como os pais e mães em geral fazem para não preferir um filho do que outro?

Mas como disse, com trigêmeos é muito diferente… Eles estão passando por suas fases da infância ao mesmo tempo. Quero dizer, a gente vai se apaixonando aos poucos e mais e mais, mas como é isso com três? Conto minha experiência: passo o dia-a-dia tentando compensar de um pro outro! Tento não preferir nenhum, tento dar colo em quantidades proporcionais, conversar com eles na mesma quantidade e amamentar também. Temos o nosso caderno de anotações e sempre fico balanceando se dei mais peito pra um ou pro outro e tentando compensar se algum ficou sem ou com menos! Converso, agrado, aperto, beijo, tudo medidinho! Não quero e não posso fazer diferença entre eles.

Já me perguntaram se prefiro um ou outro. Não, isso não existe. Eles estão se desenvolvendo da mesma maneira, ao mesmo tempo, e eu tento fazer com que tudo aconteça igual para todos. Até as fotos. Se tiro de dois geralmente é porque o terceiro não está disponível (ou está dormindo ou mamando). Depois faço alguma outra foto pra compensar. Vou me apaixonando por eles todo dia, por cada detalhezinho que acontece, por cada particularidade que descubro, por cada sorriso que me dão.

Mas… a Mônica é a Mônica. Ela tem mais currículo, como diz meu sogro. Já tenho uma resposta pronta na minha cabeça pra quando chegar o dia e ela me perguntar qual dos quatro filhos eu prefiro: “Não é que eu te amo mais, é que eu te amo há mais tempo”.

Leia mais sobre Mônica em A princesa do meu castelo

17 comentários

  1. Ângela

    Lindo! Perfeito! Michele, sou tia praticamente ao mesmo tempo que tu é mãe da Mônica, e o meu amor pelo Luis Gustavo nasceu assim como descreveste. E saiba que mesmo daqui do outro lado da rede, através da tia corujona Marina, também nasceu um amor pelas tuas crias e admiração por tua família. Abraço!

  2. Milena

    Ai, chorei e tô no trabalho. <3
    Que lindo! Como tu escreve bem. Beijo

  3. Veramilles Aparecida Faé

    Michele!
    Muito lindo, também acho que tu escreve muito bem.
    Beijinhos.
    Veramilles

  4. Ah Michele! Que coisa linda.
    Imagino que é muito complicado dá atenção, carinho e amor para 4 crianças ao mesmo tempo. Agora com 3 bebês fica ainda mais corrido. Mas olho para o rostinho lindo, saudável e feliz da Mônica nas fotos e ela transpira felicidade e amor. Isso não se nota em qualquer pessoa, apenas nas que se sentem amadas.
    No dia que você postou a foto da Mônica com a alergia, fiquei preocupada e orei por ela. Imaginei sua aflição por ser um momento que ela necessitaria de muita atenção e ao mesmo tempo, teria que cuidar para resguardar os bebês.
    Fique certa que vc está no melhor caminho, está indo muito bem. Sua família é linda e coberta de muito amor … até eu aqui do RJ consigo ver e sentir que algo muito especial envolve todos vcs!
    Bjs

    1. mfvkaiser

      Apesar de ainda estarmos em adaptação a essa nova vida com tantos bebês, nos considero muito felizes. Espero ainda ter muitas histórias boas pra dividir por aqui. Obrigada, Elisangela.

  5. Veramarcia Dolores Faé

    Belíssima descrição. É por aí mesmo, cresce a cada dia e nunca acaba. Até hoje existe aquela pergunta do preferido e eu respondo: dos meninos, é você Bruno e das meninas é a Alice. Pronto, tudo resolvido.

  6. veralucia

    Achei lindo, li não chorei, e acho que tu escreve com o coração. E eu te amo muito minha linda.

  7. Veradione Gloria Faé

    Sábias palavras Dedi, você é uma pessoa iluminada. Te amo e te amarei cada vez mais. Sim eu me emocionei.

  8. mfvkaiser

    Obrigada a todas pelos comentários! É pra isso que fiz o blog: pra trocar experiência. Abraço!

  9. Mônica Siebeneicher

    Michele, este amor é cada dia mais lindo!!!!!! Você sim é SUPER!!!!!!
    Beijos

  10. Aline Stapassoli Gomes

    Chorei de emoção ao ler esse texto! Lindo!

  11. Oi Michele que belas palavras, espero um dia sentir esse amor quando for mãe!
    Não se apavore se eu te achar pelas ruas de Caxias e ir falar contigo hehe
    Beijos

  12. Andréa Queiroz

    Amei sua história!
    Que linda!!!
    Vc é uma mulher 4x mais abençoada por Deus!!!
    Te desejo muitas histórias lindas pra nos contar!!!!

    Bjssss

    1. Michele Kaiser

      Muito obrigada, Andreia!! Que suas bençãos se realizem para mim e para você.

  13. Michelle

    Oi, Michele!

    Uau, muito lindo! Adorei!

    Minha pequena tem 1a2m e sei que vou te mais filhos e gostaria q não demorasse muito. O medo do meu marido eh que toda minha família tem gêmeos, kkkkk

    Te sigo pq gosto muito das suas dicas e sempre penso q se vc consegue com 4, eu consigo com a minha Bella!

    Te admiro muito! Ah, tbm sou Michelle e tbm sou professora de inglês!

    Abraços!

    1. Michele Kaiser

      Que legal, Michelle!! Esse medo de gêmeos eu nunca tive, nunca pensei!! kkkkkkk Depois que passa o primeiro ano dos filhos tudo fica mais fácil, né? De onde vc é? Um beijo.

Deixe seu comentário